Marcelo Sádio/Vasco
Marcelo Sádio/Vasco

Adversário político no Vasco, Roberto Dinamite lamenta a morte de Eurico Miranda

'Relação foi sempre de respeito. Eu nunca chamei Eurico somente pelo nome. Era sempre doutor Eurico', afirmou o ex-jogador

Redação, Estadão Conteúdo

12 de março de 2019 | 20h47

Roberto Dinamite, um dos maiores ídolos da história do Vasco, também lamentou nesta terça-feira a morte de Eurico Miranda, ex-dirigente do clube de São Januário. Os dois chegaram a ser rivais na disputa pela presidência do time e tiveram diversos atritos na década passada.

"Foi meu diretor de futebol, depois meu presidente do clube. O pesar com a morte dele, a gente não teve uma relação boa por conta de um problema dentro do clube, mas a gente tem que separar essa situação. Ele cumpriu a etapa dele no período que teve como diretor de futebol e presidente do clube, então que descanse em paz", disse o ex-jogador no programa "Donos da Bola" da TV Bandeirantes.

Roberto, que também foi presidente do Vasco, admitiu que teve vários problemas de relacionamento com Eurico, ao pertencerem a chapas diferentes em eleições realizadas em São Januário.

Roberto e Eurico se conheciam há muito tempo. Eles trabalharam no Vasco durante as décadas de 70, 80 e 90, e como citado pelo ex-atacante, tiveram sempre uma relação de respeito.

"A relação foi sempre de respeito. Eu nunca chamei Eurico somente pelo nome. Era sempre doutor Eurico. Inicialmente era um relacionamento muito amistoso, ainda mais com a convivência durante os anos, então foi uma relação que, não digo o dia a dia, como um amigo visitando a casa do outro, era mais profissional", disse Dinamite.

Eurico morreu nesta terça-feira, no início da tarde, em decorrência de uma câncer no cérebro, doença com a qual conviveu nos últimos dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.