Cesar Greco/Ag. Palmeiras e Rubens Chiri/São Paulo FC
Cesar Greco/Ag. Palmeiras e Rubens Chiri/São Paulo FC

Adversários na semi, Palmeiras e São Paulo rivalizam no investimento em reforços

Clubes gastam quase R$ 160 milhões em reforços para 2019; clube do Morumbi foi quem mais contratou

Ciro Campos, Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

05 de abril de 2019 | 04h30

A semifinal do Campeonato Paulista, no domingo, vai reunir os dois times mais ricos do Estado. Depois de anos com o Palmeiras como líder no mercado de transferências, em 2019 é a vez do São Paulo superar o rival e gastar mais para montar o elenco. Com os recentes reforços, o clube do Morumbi investiu R$ 79,4 milhões em contratações, ante R$ 78 milhões do rival. Corinthians e Santos gastaram menos da metade desses valores.

O São Paulo superou o Palmeiras nos gastos com jogadores principalmente com as últimas movimentações. O meia Tchê Tchê custou R$ 22 milhões e o clube precisou investir cerca de R$ 11 milhões para pagar as luvas e trazer o atacante Alexandre Pato. O reforço mais caro foi Pablo, de R$ 26 milhões. Ao todo, o clube trouxe dez reforços.

O Palmeiras teve como maior investimento para 2019 o atacante Carlos Eduardo, de R$ 20,5 milhões, ex-Piramids (Egito). A equipe fez na virada de ano as compras de jogadores que já estavam no elenco, mas pertenciam a outros clubes, como Mayke e Marcos Rocha. O pacote de sete reforços foi fechado ao conseguir o empréstimo de Ricardo Goulart.

O poderio para os dois clubes contratar tanto vem principalmente das receitas com as negociações nos anos anteriores. O São Paulo acumulou cerca de R$ 150 milhões no ano passado com as saídas de Rodrigo Caio, Éder Militão, Cueva, Pratto entre outros. 

No Palmeiras, fora a verba de patrocínio da Crefisa – mais de R$ 80 milhões –, o clube arrecadou em 2018 cerca de R$ 170 milhões, impulsionado por vendas como Keno, Róger Guedes e o próprio Tchê Tchê, que agora reforça o São Paulo.

No entanto, as contratações recentes do São Paulo não estão inscritas no Campeonato Paulista e ficam fora da semifinal. O técnico Cuca vai estrear no domingo com um time formado por garotos como Luan, Igor Gomes e Antony. Todos são apostas do clube para se juntar aos experientes reforços e fortalecer a equipe para o restante da temporada.

"Com esse time, esse elenco e essa comissão técnica temos ambições. Pela grandeza do time e do São Paulo, o que posso dizer é que temos condições para chegar (disputar títulos) com a vinda desses reforços", afirmou o diretor executivo de futebol Raí. 

O Palmeiras não gastou tanto em comparação a janelas anteriores por ter feito contratações pontuais em 2019. O clube também se empenhou na manutenção de jogadores que tinham propostas milionárias da China, como Dudu e Bruno Henrique.

RIVALIDADE

Os dois semifinalistas curiosamente travaram disputas em anos anteriores na busca por contratações. São Paulo e Palmeiras foram concorrentes ao tentar trazer nas últimas janelas nomes como Alexandre Pato, Dudu, Thiago Mendes, Gustavo Scarpa e Felipe Melo.

O clima ficou acirrado nos bastidores em algumas ocasiões e envolveu até uma briga pública entre os presidentes das equipes em 2014, quando o São Paulo tirou o atacante Alan Kardec do Palmeiras.

Jogadores que o Palmeiras contratou em 2019 - R$ 78 milhões

Ricardo Goulart - empréstimo

Matheus Fernandes - R$ 15,5 milhões

Mayke - R$ 14 milhões

Carlos Eduardo - R$ 20,5 milhões

Marcos Rocha - R$ 8 milhões

Zé Rafael - R$ 14,5 milhões

Arthur Cabral - R$ 5,5 milhões

Jogadores que o São Paulo contratou em 2019 - R$ 79,4 milhões

Vitor Bueno - R$ 2,7 milhões (clube abriu mão de 10% do valor pago pelo Santos ao Krasnodar por Cueva)

Tchê Tchê - R$ 22 milhões (Dínamo de Kiev)

Alexandre Pato - R$ 10,8 milhões (luvas)

Biro Biro - custo zero 

Willian Farias - custo zero

Hernanes - R$ 13 milhões

Tiago Volpi - R$ 1,9 milhão

Pablo - R$ 26 milhões

Léo - R$ 3 milhões

Igor Vinicius - empréstimo

Para Entender

Guia do Paulistão 2019: tudo o que você precisa saber sobre a competição

Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo vão iniciar competição com menos de três semanas de pré-temporada

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.