Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Advogado da modelo Najila Trindade, que acusa Neymar, deixa o caso

Profissional é o terceiro a sair de cena após um desentendimento com a mulher que afirma ter sido estuprada pelo jogador

Ciro Campos e Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

10 de junho de 2019 | 22h27

A modelo Najila Trindade ficou mais uma vez sem advogado. Danilo Garcia de Andrade, que vinha trabalhando no caso que envolve o atacante Neymar, anunciou que não vai mais representar a mulher que acusa o jogador de futebol de tê-la estuprado. "Confirmo, não sou mais advogado dela", afirmou ao Estado.

Danilo foi o terceiro advogado a trabalhar para Najila. Inicialmente, o representante da modelo era José Edgard Bueno, com quem teve um desentendimento sobre a estratégia no caso e romperam antes mesmo do Boletim de Ocorrência ser feito. Logo depois, a escolhida foi a advogada Yasmin Portela Abdalla, que foi substituída por Danilo na última semana.

Inicialmente, a informação havia sido dada pelo SBT, que fez uma entrevista com o advogado. "Devo me retirar do processo. Sim, estou anunciando oficialmente nesta entrevista. Não sou mais advogado de Najila", disse ao canal televisivo. Ele comentou também que foi acusado por Najila de ter participado do sumiço do tablet que teria a continuação de um vídeo dela com Neymar.

A modelo garantiu que seu apartamento teria sido arrombado e nessa invasão o tablet que teria provas contra Neymar acabou desaparecendo. Então acusou seu advogado de ter planejado essa invasão durante uma reunião entre eles e explicou que usou um dispositivo de busca de seu tablet e o endereço aponto o escritório de Danilo.

"A senhora Najila me acusou de ter planejado este arrombamento, essa situação toda. Disse que esse tablet poderia estar comigo, segundo o marcador de localização dela. A cliente tem uma postura repentina e totalmente contrária à ética e ao bom senso e até à verdade nesse caso, a respeito do arrombamento e desse tablet estar de minha posse", continuou.

O advogado aguardava que Najila entregasse mais provas para ajudar na investigação, incluindo o vídeo de sete minutos - apenas 66 segundos desse material são de conhecimento dos investigadores. Nesta segunda, Danilo compareceu à 6ª Delegacia de Defesa da Mulher para notificar que sua cliente não havia entregado o restante do vídeo.

Em nota, o profissional explicou sua decisão ao deixar o caso que tomou grandes proporções. "Advogado Danilo Garcia de Andrade, prezando pela ética de sua profissão e de seu sobrenome, renuncia ao patrocínio de Najila Trindade. Que jamais advogaria para alguém que colocasse a minha integridade em questão. Que jamais participaria de qualquer ilicitude para lograr proveito econômico de quem quer que seja. Que acredito na boa advocacia, nos valores da moral e da boa conduta. Que como advogado, vezes estamos pela vítima, vezes estamos pelo cliente, contudo, a opinião pública deve ser esclarecida, que a pessoa do advogado não é a pessoa de seu cliente"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Raí valoriza montagem do elenco do São Paulo para o Brasileirão
  • Em crise, Figueirense se movimenta para evitar novo W.O.
  • Corinthians, Palmeiras e São Paulo tem as melhores defesas do Campeonato Brasileiro
  • Podcast: personalidades do esporte analisam a situação do futebol no Brasil
  • Bruno Henrique vibra com gols no Maracanã: 'Semana mais feliz da minha vida'

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.