Advogado mexicano vai à Justiça para ter Blanco na Copa

A polêmica causada no México pela não convocação do atacante Cuauhtémoc Blanco para a Copa do Mundo pode ir parar na Justiça: o advogado mexicano Humberto Ramírez recorreu para exigir do técnico Ricardo Lavolpe a presença do artilheiro entre os convocados."Quero razões lógicas pra a decisão de Lavolpe, que desagradou à torcida mexicana", afirmou o advogado, em entrevista a um jornal mexicano. Blanco, que joga no América, foi eleito no ano passado o melhor jogador em ação no milionário futebol do país.Lavolpe, no entanto, já teve problemas disciplinares com o jogador e preferiu deixá-lo de fora da seleção desde que assumiu o posto, em 2003. Na semana passada, depois que uma manifestação pelas ruas da Cidade do México pediu a convocação de Blanco, ele disse que tem medo de voltar ao país no caso de uma campanha ruim no Mundial.O advogado Ramírez afirma que age por conta própria. Blanco, por sua vez, agradeceu o gesto de apoio, mas disse que prefere que as coisas "fiquem como estão".Nem mesmo essa questão, porém, diminui o fanatismo da torcida mexicana. Na terça-feira, os jogadores tiveram de interromper um treino num clube de golfe em Acapulco, uma das principais cidades do litoral do país, por causa da invasão de centenas de torcedores. A seleção está concentrada para treinar há duas semanas.O México está no Grupo D, e estréia na Copa no dia 11 de junho, em Nuremberg, contra o Irã. A chave tem também Portugal e Angola.

Agencia Estado,

19 de abril de 2006 | 12h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.