Advogado santista critica o STJD

Os advogados de Corinthians e Santos, João Zanforlin e Mário Melo, respectivamente, tiveram reações contrárias ao saberem das penas aplicadas aos atletas que defendiam. Enquanto Zanforlin se mostrou conformado, Melo não poupou de críticas o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e o clube adversário. ?O tribunal não levou em conta tudo o que foi falado. Foi uma pena dura?, disse Melo, inconformado com as sentenças de quatro jogos de suspensão para o goleiro Fábio Costa e o meia Fabiano. ?O que estamos fazendo aqui? Papel de palhaço? Me estranhou muito o resultado deste julgamento.? Melo ainda retrucou que se tivesse a honra de um membro de sua família agredida, como Fabiano alega ter sido alvo de Fábio Luciano, acertaria um soco em seu agressor e não um tapa como fez o meia santista. Sobre o pedido de indiciamento pelo Corinthians para o atacante Willian, o advogado respondeu: ?Do Corinthians a gente pode esperar tudo.? Já Zanforlin manteve a calma, principalmente, porque as penas não foram tão elevadas como se esperava. Para ele, 40 dias de suspensão para o goleiro Doni, 60 dias para Fábio Luciano e três partidas para César foi um bom resultado. ?É claro que não fico plenamente satisfeito mas, diante de penas de 90 e 120 dias, foi razoável.? O único problema que poderá surgir é com a venda do zagueiro Fábio Luciano para o futebol turco. De acordo com a Fifa, o jogador deverá cumprir a pena, mesmo atuando no exterior e isto poderá frustrar as pretensões dos dirigentes do Fenerbahce.

Agencia Estado,

15 de julho de 2003 | 21h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.