Aécio pede e CBF abaixa preço de ingressos

Atendendo a um apelo do governador de Minas Gerais, Aécio Neves, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) cortou pela metade o valor dos ingressos das cadeiras laterais para a partida entre Brasil e Argentina, no dia 02 de junho, no Mineirão, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo 2006. Aécio considerou "salgado" e "excessivo" o preço de R$ 60 para o ingresso mais barato do evento e anunciou hoje que o presidente da entidade, Ricardo Teixeira, aceitou reduzir o valor para R$ 30. De acordo com o presidente da Administração dos Estádios de Minas Gerais (Ademg), Fernando Sasso, serão colocados à venda 38.842 ingressos para o clássico sul-americano. Deste total, 19.421 terão os preços reduzidos a R$ 30. O ingresso dá acesso aos espaços atrás dos gols no anel superior do Mineirão, onde estão sendo colocadas cadeiras. Os preços dos ingressos foram divulgados na segunda-feira. Além do valor das chamadas cadeiras laterais, as cadeiras centrais custarão R$ 100, enquanto as de setor sairão a R$ 120 e a especial a R$ 150. "Não é ainda o valor ideal, mas me parece algo bem mais razoável em relação ao inicial", disse o governador mineiro, a respeito da redução. Apaixonado por futebol, Aécio procura fazer da partida um evento também de visibilidade política. Hoje, ele se reuniu no Palácio da Liberdade com Paulo Schettino, presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF), com o ex-goleiro do Atlético-MG, João Leite, secretário de Desenvolvimento Social e Esportes, além do presidente da Ademg. O governador destacou que está satisfeito com o andamento das obras no Mineirão, que segundo ele, passará a ser "o mais confortável e seguro estádio do Brasil". De acordo com Aécio, todas as obras exigidas serão entregues antes da data da partida, como a instalação de 33 mil cadeiras nas arquibancadas, reformas e ampliação das cabines de rádio e TV, instalação de novos sistemas de monitoramento dos torcedores e de prevenção a incêndios. "A expectativa é de que no jogo do dia 30, entre Atlético e Santos, pelo Campeonato Brasileiro, nós possamos realizar o evento já com toda a estrutura preparada para o jogo entre Brasil e Argentina", afirmou Sasso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.