AEK perde pontos por atos de torcida e cai na Grécia

Um dos clubes mais tradicionais da Grécia, o AEK foi punido com a perda de três pontos no campeonato nacional por conta dos atos de violência de sua torcida, que interromperam uma partida no último final de semana. Em consequência disso, a equipe acabou matematicamente rebaixada à segunda divisão.

AE-AP, Agência Estado

19 de abril de 2013 | 12h01

Nesta sexta-feira, uma comissão disciplinar da competição decretou que o resultado do confronto do último domingo fosse de 3 a 0 para o Panthrakikos. Aos 43 minutos do segundo tempo, torcedores do AEK invadiram o campo e paralisaram a partida ao verem sua equipe levar o primeiro gol do confronto.

"A partida foi paralisada aos 43 minutos do segundo tempo, depois que torcedores da equipe da casa entraram em campo em grande número, obrigando jogadores de ambos os times e os árbitros da partida a correrem para os vestiários", apontava o comunicado divulgado pela comissão disciplinar.

A perda de pontos fez com que o AEK fosse confirmado na penúltima colocação do Campeonato Grego, mesmo com uma rodada ainda por jogar. A equipe caiu para 27 pontos, enquanto o próprio Panthrakikos chegou aos 33 e se garantiu na primeira divisão. O regulamento da competição prevê que os dois últimos colocados sejam rebaixados.

Além desta punição, o AEK ainda foi multado em sete mil euros (R$ 18,5 mil) e começará a segunda divisão da temporada 2013/2014 com menos dois pontos. Os dirigentes do clube prometeram apelar da decisão, a qual consideraram injusta.

"A comissão disciplinar decidiu nos privar do nosso direito de lutar pela salvação. Mas o AEK nunca desiste, porque nós aprendemos a lutar no campo até o fim", apontou o clube em comunicado. "Nós sabemos que os torcedores da nossa equipe nunca vão esquecer disso."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato GregoAEK

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.