África do Sul deporta 15 torcedores argentinos

Depois de causar confusão durante a Copa do Mundo, um grupo de 15 torcedores argentinos foi deportado nesta quarta-feira em um voo direto de Johannesburgo para Buenos Aires, segundo informou a embaixada da Argentina na África do Sul.

AE-AP, Agência Estado

23 de junho de 2010 | 09h40

Os torcedores, que faziam parte da "Barra Bravas" (espécie de hooligans argentinos), estavam presos em um centro migratório desde a semana passada. A previsão inicial era de que retornassem à Argentina no domingo, mas a falta de lugares nos voos atrasou a saída.

"Não foi possível encontrar assentos disponíveis e precisávamos de lugar para 15. Assim, houve o atraso", contou à AP o cônsul argentino em Johannesburgo, Carlos Rubio, explicando ainda que os torcedores não serão presos no desembarque em Buenos Aires.

Os deportados faziam parte de um grupo de 165 argentinos hospedados em Pretória, mesma cidade onde a seleção faz a sua concentração para o Mundial, e haviam tentado entrar em duas partidas sem ingressos, além de causar outros distúrbios.

Anteriormente, sete integrantes da "Barra Bravas" foram barrados na chegada à África do Sul. Todos eles possuíam pendências com a Justiça argentina e também acabaram deportados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.