Arquivo/AE
Arquivo/AE

África do Sul tem déficit de US$ 315 mi para erguer estádios

Escassez de recursos se soma às preocupações com acomodações, transporte e segurança levantadas pela Fifa

Wendell Roelf, Reuters

17 de setembro de 2009 | 14h56

A África do Sul enfrenta uma carência de recursos da ordem de US$ 315 milhões para erguer seis novos estádios para a Copa do Mundo do ano que vem, disse o ministro das Finanças, Pravin Gordhan, nesta quinta-feira.

Enfrentando sua primeira recessão em 17 anos, a África do Sul é o primeiro país africano a sediar o Mundial de futebol, o evento esportivo mais assistido do mundo, que começa em junho de 2010.

A escassez de recursos se soma às preocupações com acomodações, transporte e segurança levantadas pela Fifa.

Gordhan disse que a responsabilidade contratual é das dez cidades-sede, que devem lidar com custos crescentes, e que seria "obviamente absurdo" que o governo federal assumisse o reembolso desses custos.

"Só um dos novos estádios deve ser concluído dentro do orçamento", disse ele, sem especificar qual deles. A Cidade do Futebol, que fica em Johanesburgo e sediará a final, responde por quase metade dos US$ 315 milhões em falta.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolÁfrica do SulCopa 2010

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.