Agenda da Copa: Argentina encara Nigéria em Porto Alegre

Nesta quarta-feira, vamos conhecer as definições dos grupos E e F; nas Fan Fests Revelação irá fazer Copacabana sambar

O Estado S. Paulo

25 de junho de 2014 | 05h00

O 14º dia de Copa do Mundo será com as definições dos Grupos E e F do Mundial, chaves estas que são encabeçadas por Suíça e Argentina respectivamente. Às 13h, no Beira-Rio, em Porto Alegre, os portenhos terão o apoio da torcida para manter o primeiro lugar do grupo contra a Nigéria. No mesmo horário, mas em Salvador a Bósnia irá tentar a sua primeira vitória na história em sua estreia; para isso vai ter que enfrentar o calor e a defesa iraniana, que ainda sonha com uma vaga inédita para a segunda fase. Para completar o dia, às 17h serão completado os jogos do Grupo E; com a França encarando o Equador, no Maracanã; e a Suíça, tentando se manter em segundo lugar, para conquistar a classificação contra Honduras na Arena Amazônia, em Manaus.

Nas Fan Fests os palcos irão passar todos os jogos do dia e ainda terá shows musicais para entreter e animar os torcedores entre um jogo e outro nos gramados brasileiros.

Nigéria x Argentina - Beira-Rio - 13h

Com a classificação garantida para a próxima fase da Copa, a Argentina tem uma missão clara para o jogo contra a Nigéria: diminuir a dependência de Messi. A opinião não é do próprio técnico Alejandro Sabella, que admite que a equipe não pode viver só dos lampejos do craque do Barcelona. Para tentar tirar, um pouco, o peso dos ombros de Messi, o treinador não pretende mexer no esquema tático da Argentina. A formação com três atacante está mantida, porém o técnico argentino não confirma quais jogadores irá tentar a terceira vitória da seleção na Copa.

O caminho para a Argentina diminuir sua dependência do camisa 10 começa pela movimentação de seus jogadores. Em vários momentos do jogo contra o Irã o atacante Agüero caminhava para receber os passes e, com isso, os zagueiros chegavam primeiro. Higuaín tocava e ficava parado, sem criar opções para a continuidade da jogada. O treinador reconheceu o problema e promete que irá tentar resolve-lo. Para este jogo frente aos africanos, Sabella irá poupar apenas o latera-esquerdo Rojo, penduarado com um cartão amarelo. Basanta será o substituto.

Já do lado verde do confronto, o técnico Stephen Keshi necessita apenas de um empate para garantir a classificação para a próxima fase, algo que não acontece desde a Copa do 1998, na França. Mesmo sabendo da força dos sul-americanos, o técnico africano confia na sua equipe e acredita que a sua seleção possa vencer os argentinos na tarde desta quarta-feira. Caso as 'águias' vençam o jogo terminaria a fase de grupos na primeira colocação com 7 pontos.

Bósnia-Herzegovia x Irã - Arena Fonte Nova - 13h

Com ambições bem distintas Bósnia e Irã fecham o grupo F da Copa do Mundo. Com chances remotas de classificação, os iranianos tentaram manter a boa média de gols que está havendo no estádio baiano. Mesmo sem ter a qualidade técnica de outras seleções, a equipe asiática necessita vencer os bósnios por mais de um gol de diferença e torcer para que os sul-americanos vencem os africanos por no mínimo dois gols de diferença. Um fato inusitado que possa acontecer na decisão deste grupo é o sorteio. Se o Irã vencer o jogo por 1 a 0 e a Argentina vencer a Nigéria, no Beira-Rio, por pelo menos 2 a 0; a decisão será na sorte.

Do lado da Bósnia a frustração pela eliminação precoce ficou evidente desde a chegada da delegação a Salvador. O time reduziu a carga de treinos e os jogadores não disfarçam o abatimento. Só resta aos europeus uma despedida digna do Mundial no Brasil.

Suíça x Honduras - Arena Amazônia - 17h (de Brasília)

Com grandes chances de classificação os suíços esperam não repetir o feito de quatro anos atrás. E o roteiro pode ser considerado o mesmo, com vitória na estreia, derrota no segundo jogo e empate sem gols na partida decisiva. Para que isso não se repita, o técnico Ottmar Hitzfeld aposta numa base que deixou para trás a fama do 'ferrolho suíço' e agora é bem mais ofensiva com Benaglio, Lichtsteiner, Von Bergen, Inler e Shaqiri; todos estavam presentes no vexame de 2010, porém Shaqiri era o único reserva.

Já o destque de Honduras é o goleiro Valladares, que foi uma muralha em 2010, está novamente no caminho dos europeus. Além do goleiro, Chávez e Figueroa também jogaram naquela decisão do grupo. Eles prometem dar trabalho novamente. Ademais estes jogadores, o técnico Luis Suárez terá o retorno de Wilson Palacios, que foi expulso na partida inaugural contra a França.

Equador x França - Maracanã - 17h

Desacreditados antes da Copa, os franceses vêm de duas goleadas e entram em campo buscando a melhor campanha da primeira fase. O técnico Didier Deschamps conseguiu o seu objetivo e está praticamente classificado para a próxima fase, tanto é que além dos dois desfalques - o zagueiro Varane se recupera de uma gastroenterite e o volante Cabaye está suspenso -, o treinador tem em mente poupar outros jogadores, como Sagna, Evra e Giroud.

Do lado sul-americano, o técnico Reinaldo Rueda admitiu que o Equador entrará em campo pressionado. Afinal, um fracasso diante dos franceses fará com que sua equipe seja a única representante da América do Sul eliminada ainda na primeira fase. Rueda ainda afirmou que deverá manter a mesma equipe que venceu Honduras, e talvez faça alguma mudança. O técnico avalia que seu time precisará ter inteligência para vencer os 'azuis'.

FIFA FAN FESTS

Brasília

Banda Na Lata

Cuiabá

Os Thomés

Curitiba

Grupo Samba de Saia

Fortaleza

Banda Dona Zefa

Manaus

Banda Cheiro de Amor

Natal

Lane Cardoso e banda

Porto Alegre

Tributo a Tim Maia e Banda Eva

Rio de Janeiro

Revelação

Salvador

Olodum

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.