Agenda da Copa: Na abertura das oitavas, Brasil encara o Chile

Na abertura das oitavas de final, dois clássicos sul-americanos faz a Copa ferver; Fan Fests prometem agitar os palcos pelo Brasil

O Estado de S. Paulo

28 de junho de 2014 | 05h00

Após um dia sem jogos na Copa do Mundo, com o fim da primeira fase e já definidas as oitavas de final do Mundial. O dia começa às 13h, em Belo Horizonte, no estádio do Mineirão, a seleção brasileira encara o Chile no primeiro clássico sul-americano desta Copa. Mais tarde, às 17h, no Rio de Janeiro, o Uruguai volta a fazer um jogo de Mundial após 64 anos no estádio mais famoso do Brasil. No Maracanã, a 'Celeste' sobe a campo 'mordida' com a ausência de Luis Suárez, após punição imposta pela Fifa por causa de sua agressão ao zagueiro italiano Chielini, e enfrenta a perigosa e ofensiva seleção colombiana.

Com a volta dos jogos na Copa do Mundo, as cidades-sede que tem Fan Fest voltam a ficar abertas para entreter os torcedores com jogos no telão e vários shows musicais no intervalo das partidas.

Brasil x Chile - Mineirão - 13h

Chegou a hora do Brasil mostrar que é o favorito para conquistar a Copa do Mundo em casa. Mesmo assim, o treinador brasileiro trata de aliviar a pressão que pesa sobre seus jogadores, e uma de suas estratégias é pulverizar as estatísticas do confronto, extremamente favoráveis ao Brasil. Segundo a Fifa, foram 68 jogos disputados na história, com 48 vitórias dos brasileiros, 13 empates e sete triunfos dos chilenos. Felipão diz que a ansiedade e a emoção de jogar a fase de mata-mata do Mundial em casa são muito fortes. Por isso, cobra erro zero e respeito ao adversário sul-americano.

O técnico 'canarinho' sabe que o ponto forte do Chile é o contra-ataque com Alexis Sánchez e Vargas, e contava com bom entrosamento da zaga formada por Thiago Silva e David para neutralizar a ação da dupla de Jorge Sampaoli. Porém, David Luiz foi diagnosticado com lombalgia e virou dúvida para o confronto. Caso o camisa 4 não jogue, Dante deverá ser o substituto. Outra mudança em relação ao time titular já foi feita nesta semana de trienos em Teresópolis, a promoção de Fernandinho no lugar de Paulinho. E Maicon corre por fora para tomar a vaga de Daniel Alves entre os 11 iniciais.

Já os chilenos confia em Alexis Sánchez. O parceiro de Barcelona dos brasileiros Neymar e Dani Alves faz dupla de ataque com Eduardo Vargas, A parceria com ex-gremista deu certo na Copa. Sánchez foi determinante nas vitórias contra Austrália (fez um dos gols do jogo) e também sobre a Espanha. Sampaoli acredita que o atacante pode fazer a diferença contra o Brasil. E sua atuação é ainda mais crucial, porque Vidal, outro craque do time, não está bem fisicamente.

Mas nem tudo é alegria na 'La roja'. Gary Medel, zagueiro que seria importante na marcação sobre Neymar (jogando na sobra), sofreu uma lesão muscular na coxa esquerda. Ele seria reavaliado antes da partida e Sampaoli o esperaria até o último minuto, ante de soltar a escalação.

Colômbia x Uruguai - Maracanã - 17h

No segundo duelo sul-americano da rodada de abertura das oitavas de final, Colômbia e Uruguai terão uma prova de fogo. Os colombianos, em busca da classificação para as quartas de final pela primeira vez em sua história, tentarão mostrar que, além de bom futebol, têm cabeça para sobreviver a um jogo eliminatório. E os uruguaios, que foram ressuscitados no Mundial pelo talento de Luis Suárez na vitória sobre a Inglaterra, irão à luta sem seu atacante e confiando na experiência em partidas desse tipo para conseguir a vaga.

Uma dúvida para José Pekerman é se a Colômbia está preparada para deixar para trás um velho problema que costuma abreviar a trajetória da seleção em Mundiais: a falta de equilíbrio emocional para sobreviver à pressão de jogos decisivos. E o técnico argentino irá ter que domar os colombianos para que não caia no jogo de provocação dos uruguaios. Para isso, Pekerman tem todos os seus jogadores a disposição e aposta na qualidade técnica do time para vencer a partida.

Já a escalção uruguaia é um mistério. Forlán é o substituto natural de Suárez, mas não está em boa fase e não saiu do banco nas partidas contra ingleses e italianos. Stuani, que tem boa presença de área, é outra opção. E especula-se que Gastón Ramírez pode ser o escolhido, para dar mais toque de bola ao meio-campo. Nesse caso, Cavani seria o único atacante. Outra dúvida de Oscar Tabárez é dúvida sobre o esquema de jogo. Se for o 4-4-2, como no início do jogo contra a Itália, Cáceres será o lateral-direito e Maxi Pereira ficará na reserva. Mas se Tabárez optar pelo 3-5-2, Cáceres jogará de zagueiro, Maxi Pereira entrará como ala pela direita e o corintiano Lodeiro vai para o banco.

Enfim, o jogo será um confronto de estilos: toque de bola contra garra, inexperiência versus tarimba. Quem for ao Maracanã verá um jogo com muita rivalidade, com muita história e que poderá ser contada a todos no futuro.

FIFA FAN FESTS

Brasília

Adora-Roda

Belo Horizonte

Daniela Mercury

Cuiabá

Péricles

Curitiba

Blindagem

Fortaleza

Leo Santana

Manaus

DJ Marlboro

Natal

Far From Alaska

Porto Alegre

César Oliveira e Rogério Melo

Rio de Janeiro

Moraes Moreira

Salvador

Alex Costa/Coreto Elétrico

São Paulo

Baile do Simonal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.