Agentes Fifa reclamam de "pirataria"

Empresários de jogadores reclamam da CBF providências contra a "pirataria" no mercado de compra e venda de atletas. Em uma reunião da Abaf (Associação Brasileira de Agentes de Futebol), nesta sexta-feira, em São Paulo, os agentes decidiram produzir um documento pedindo à CBF punição aos clubes e jogadores que negociam com empresários não credenciados pela Fifa."Isso não pode acontecer. Mais de 300 ?agentes piratas? estão agindo no mercado sem restrição. A CBF tem de punir os clubes", disse Léo Rabello, presidente da Abaf, associação que reúne 70 dos 92 agentes Fifa do Brasil.A Fifa determina que transações de jogadores têm de ser feitas por empresários credenciados. "Só no Brasil essa exigência não está sendo obedecida. Em nenhum lugar do mundo isso acontece", insiste Rabello.O protesto da Abaf contra a CBF será formalizado na próxima semana. Uma cópia do documento será enviada à Fifa. No ano passado, o Brasil exportou cerca de 800 jogadores. Em 2003, a exportação de atletas fez entrar US$ 72,4 milhões no País (cerca de R$ 180 milhões).

Agencia Estado,

18 de fevereiro de 2005 | 18h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.