Agnelo critica aumento do preço do ingresso

O ministro dos Esportes, Agnelo Queiroz condenou o aumento de 50% nos preços dos ingressos no Campeonato Brasileiro de 2004, promovido nesta segunda-feira pelos clubes e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) durante a reunião do seu conselho técnico. O ministro frisou que o futebol não deve ser objeto de elitização porque é um esporte do povo. "O futebol brasileiro sem a presença da massa perderia completamente o sentido", afirmou Queiroz. "Ingresso barato não é incompatível com o oferecimento de boas condições nos estádios aos torcedores." De aciordo com o ministro dos Esportes, o aumento será analisado por profissionais pertencentes à sua pasta. Disse ainda acreditar que os organismos de defesa do consumidor também não deixarão de verificar se houve um aumento abusivo. O ministro classificou de infeliz as declarações de dirigentes que apontaram como a saída do futebol brasileiro, a sua elitização. Para ele, outro equívoco é o pensamento de que é necessário correr atrás do torcedor que tem dinheiro. "Isso é uma infelicidade. O futebol é um esporte que tem a maior inclusão social. E muito do sucesso deste esporte se deve às crianças pobres. Afinal, o melhor jogador de todos os tempos e o melhor jogador de futebol do ano passado vieram da pobreza?, disse se referindo a Pelé e ao atacante Ronaldo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.