Eraldo Peres/AP
Eraldo Peres/AP

Agnelo Queiroz confirma entrega do estádio Mané Garrincha para dia 21

Cerimônia é parte da programação dos 53 anos de Brasília, mas primeiro jogo só em 18 de maio

O Estado de S. Paulo

08 de abril de 2013 | 17h03

BRASÍLIA - O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, confirmou nesta segunda-feira que o Estádio Nacional Mané Garrincha vai mesmo ser entregue dia 21 de abril, dia em que a fundação de Brasília completará 53 anos. Mas o primeiro jogo na arena só será realizado em 18 de maio: a decisão do campeonato candango. Isso porque o gramado só começará a ser plantado um mês anos da partida, ou seja, no próximo dia 18 de maio.

Com custo superior a R$ 1 bilhão e tido por muitos analistas como candidato a "elefante branco'', o Mané Garrincha vai ser um sucesso, garantiu ontem Agnelo a jornalistas estrangeiros. E justificou: "Será um estádio para os próximos 100 anos e será usado em eventos esportivos, mas também para atos culturais e religiosos'', disse, durante visita às obras do estádio.

O Mané Garrincha terá capacidade para 72 mil pessoas, mas no jogo inaugural a capacidade vai ser reduzida. Ainda não está definida a quantidade de ingressos a serem colocados à disposição dos torcedores, mas o Campeonato Brasiliense tem média de público baixíssima.

O uso com capacidade total será a partir de 25 de maio, na partida entre Santos e Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro.

Em 15 de junho, o Mané Garrincha receberá o jogo de abertura da Copa das Confederações, entre Brasil e Japão. Será a única partida da competição na arena, que na Copa do Mundo de 2014 vai sediar sete jogos.

Agnelo afirmou aos correspondentes estrangeiros que as obras da parte estrutural do estádio já estão concluídas. "Faltam apenas os últimos retoques.'' Entre esses retoques, está o complemento da instalação das cadeiras. Cerca de 3 mil assentos são colocados por dia, conforme cálculos dos responsáveis pelas obras, e essa tarefa está envolvendo centenas de trabalhadores.

Na parte externa da arena há problemas, como a construção de um estacionamento para 7.848 automóveis. Segundo o governador, a obra será feita em diversas fases. Parte  estará pronta no dia 15 de junho.

Queiroz informou que toda a energia que será consumida pelo estádio será gerada em sua própria estrutura mediante uma subestação alimentada com painéis solares e receptores de água de chuva, cuja capacidade será de 3,2 milhões de quilowatts anuais. Essa energia será superior às necessidades da arena e, no futuro, a subestação do Estádio Nacional poderá ser conectada à rede elétrica da cidade, a fim de aumentar a oferta de eletricidade.

O governador negou que tenha tido contato com a Fifa sobre a possibilidade de Brasília ser também sede da abertura da Copa de 2014,  por causa dos problemas enfrentados na construção do Itaquerão, em São Paulo. "A parte que nos corresponde foi feita, e o estádio (de Brasília) estará pronto", afirmou Agnelo, que acredita que todas as obras estarão prontas a tempo nas 12 cidades-sede do Mundial.

O Estádio Nacional Mané Garrincha deverá ser o quarto entre os que receberão jogos da Copa a ser inaugurado, depois do Castelão, em Fortaleza, do Mineirão, em Belo Horizonte, e da Arena Fonte Nova, em Salvador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.