Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Agora artilheiro, Luciano diz que perda do título pelo São Paulo foi inadmissível

Atacante fez o gol de pênalti no empate com o Palmeiras que deixou o time sem chance de ser campeão

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2021 | 00h01

As já remotas chances de título do Campeonato Brasileiro do São Paulo chegaram ao fim nesta sexta-feira, com o empate por 1 a 1 com o Palmeiras, no Morumbi, a duas rodadas do fim. Um cenário classificado como "inadmissível" pelo atacante Luciano, autor do gol do time no clássico, que lembrou a grande vantagem na liderança desperdiçada e até evitou celebrar mais enfaticamente o fato de ter se tornado um dos artilheiros do torneio.

"Marquei mais um gol, fico feliz, mas triste pelo resultado. É difícil explicar o que aconteceu, é inadmissível. A gente tinha 7 pontos de vantagem e hoje já não temos chance. Temos de pedir desculpas e buscar o G4, que passou a ser o nosso objetivo", afirmou.

Luciano marcou o gol do São Paulo diante do Palmeiras, ao converter pênalti, mas Rony, nos acréscimos, igualou o placar do clássico, e frustrou as esperanças do time, que até ascendeu ao terceiro lugar, com 63 pontos, mas não possui mais chances de ser campeão nacional.

O gol, ao menos, foi importante para os objetivos pessoais de Luciano. O atacante chegou aos 17 e agora divide a artilharia do Brasileirão com três jogadores: Thiago Galhardo (Internacional), Claudinho (Bragantino) e Marinho (Santos).

Já sem chances de títulos, o São Paulo tentará se manter nas rodadas finais no G4 - está à frente do Atlético-MG, com 62, e do Fluminense, com 60. O time vai visitar o Botafogo, segunda-feira, no Engenhão, e receberá o Flamengo, quinta-feira, no Maracanã, em seus compromissos finais no Brasileirão. Para o primeiro deles, o time não terá Daniel Alves, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Hernanes e Vitor Bueno são os candidatos a substituí-lo.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.