André Rigue/estadao.com.br
André Rigue/estadao.com.br

Agora 'santo', Domingos é o ídolo dos jovens da Portuguesa

Assediado por dezenas de garotos no treino, zagueiro afirma ter entrado numa nova fase na carreira

André Rigue, estadao.com.br

12 de fevereiro de 2010 | 12h47

Forte calor no Canindé. Domingos deixou a zaga e vestiu o uniforme de goleiro para atuar no rachão dos jogadores da Portuguesa, no último treino antes de pegar o Corinthians. Das arquibancadas, 30 garotos de uma das escolinhas da equipe gritaram insistentemente o nome do defensor.  

 

Veja tambem:

link Quinto maior técnico da Lusa, Benazzi pode perder emprego

No Santos, Domingos perdeu espaço por ser considerado um jogador violento. Neste Paulistão, porém, ele ressurgiu pela Portuguesa. Com contrato até o fim do campeonato, o zagueiro se tornou titular absoluto do time de Vágner Benazzi e recebeu apenas um cartão amarelo em sete jogos.

A nova fase na carreira é festejada por Domingos. "O que passou, passou. Agora é vida nova", afirma o zagueiro, enquanto, encabulado, dava autógrafos para as crianças no gramado do Canindé. "Estou mais tranquilo, e feliz por receber esse carinho."

A garotada, porém, não quer saber da fase "santa" do zagueiro. "Virei fã do Domingos depois que ele deu um pau no Diego Souza [os dois brigaram nas semifinais do Paulistão 2009]", conta João Guilherme, de 9 anos. "Ele chega duro mesmo. É um zagueiro de muita pegada", diz Luis Camargo, de 11 anos.

Benazzi aposta em Domingos para encerrar alguns jejuns. A Portuguesa não ganha no Canindé desde novembro do ano passado (quatro jogos). Não vence o Corinthians no estádio há 13 anos, e está há cinco partidas sem triunfar no Paulistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.