Agressão de gandula pode gerar punição à Ponte Preta

Confusão é registrada na súmula pelo árbitro baiano Manoel Nunes Lopo Garrido

Agência Estado

21 de maio de 2014 | 19h25

CAMPINAS - A Ponte Preta corre o risco de ser punida pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por causa da agressão do gandula Aldo David ao médico Bernardino Santi, que estava integrado à equipe do Vila Nova, nos acréscimos da partida de terça-feira, no Moisés Lucarelli, em Campinas.

Após ter atenção chamada pelo técnico Waldemar Lemos por demorar para repor a bola, Aldo David continuou batendo boca com a delegação goiana até acertar um soco na cara de Bernardino Santi, que tentou revidar. A confusão foi registrada na súmula pelo árbitro baiano Manoel Nunes Lopo Garrido. O médico não faz parte da comissão técnica do Vila e foi contratado apenas para o jogo da última terça-feira.

Através de uma nota publicada em seu site oficial nesta tarde, a Ponte Preta lembrou que os gandulas são de uma empresa terceirizada profissional. O clube lamentou a atitude do gandula e prometeu tomar as medidas necessárias caso realmente aconteça a denúncia.

Dentro de campo, a Ponte venceu por 1 a 0 e manteve a invencibilidade na Série B e aparece na sexta colocação, com dez pontos. O time volta a campo nesta sexta-feira, contra o Ceará, no Estádio Domingão, na cidade de Horizonte, pela sétima rodada. Pouco aproveitado por Dado Cavalcanti, o atacante Ademir teve seu empréstimo para o Penapolense até o fim do ano confirmado.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPonte Pretagandulaagressão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.