Dave Thompson|AP
Dave Thompson|AP

Agüero marca 2, Falcao perde pênalti e City faz 5 a 3 no Monaco em jogo incrível

Time inglês leva a melhor na partida de ida das oitavas da Liga dos Campeões

Estadao Conteudo

21 Fevereiro 2017 | 18h50

O Manchester City de Pep Guardiola e o Monaco de Leonardo Jardim protagonizaram, nesta terça-feira, na Inglaterra, um dos melhores jogos da temporada. A partida teve tantas variáveis que qualquer um dos dois poderia ter vencido com justiça. Acabou sendo o City, que contou com grande atuação de Kun Agüero para vencer por 5 a 3 na partida de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões.

O argentino fez dois gols, deu uma assistência e sofreu um pênalti não marcado. Do outro lado, Falcao Garcia também anotou dois gols, sendo um deles um golaço, e sofreu um pênalti. Mas a cobrança nas mãos de Caballero freou o Monaco, que naquele momento poderia ter aberto 3 a 1.

A partida ainda teve um frango do goleiro Subasic, do Monaco, e duas assistências do brasileiro Fabinho, para os dois primeiros gols do time francês. Pelo City, na ausência de Gabriel Jesus, que ficará até três meses afastado por lesão, todos os homens de frente fizeram grande partida. Foram oito chances de gols criadas, seis finalizações, todas no alvo, e cinco gols. Enquanto isso, o Monaco criou 15 oportunidades. Só não soube ter a mesma pontaria.

A volta está marcada para 15 de março, em Mônaco, quando o time da casa terá que ganhar por pelo menos dois gols de diferença.

O JOGO

Como previsto, o melhor ataque da Europa não se fez de rogado na casa do Manchester City e atacou desde o primeiro minuto. As chances lá e cá mostravam o que seria o restante do jogo. Qualquer uma das duas equipes poderia sair na frente.

Acabou sendo o Manchester City, aos 26 minutos. Sané saiu driblando pela esquerda e o bote tentado pela zaga do Monaco acabou virando passe para David Silva. O espanhol invadiu a área e tocou para Sterling marcar. O atacante estava praticamente na mesma linha da bola, gerando dúvidas sobre um possível impedimento não marcado.

O Monaco não demorou a empatar. Aos 31, Fabinho roubou bola no meio e cruzou na cabeça de Falcao Garcia, que, de cabeça, fez o primeiro dele no jogo, deixando tudo igual no placar.

Em uma partida aberta, qualquer erro seria punido. E, aos 34, quem errou feio foi o árbitro espanhol Antonio Mateu. Ele não só não viu pênalti claro de Subasis em Agüero como deu cartão amarelo ao atacante argentino por simulação.

O Monaco se beneficiou do erro e conseguiu a virada. Kylian Mbappé Lottin, de apenas 18 anos, foi quem anotou, mais uma vez após assistência de Fabinho.

O ótimo primeiro tempo seria só uma previa de quão emocionante seria a segunda etapa. Logo aos 3 minutos, Mandy cruzou e Falcao Garcia foi derrubado por Otamendi. O colombiano mesmo foi para a cobrança. Deixou todos no estádio ansiosos, demorando a ir para a bola, deu uma paradinha, e mandou nas mãos de Caballero.

Ainda pior fez Subasic, que sofreu um frango memorável aos 12 minutos. Falcao perdeu bola no meio, Sterling puxou o contra-ataque e deu para Agüero. O argentino chutou rasteiro, mas mãos do goleiro, que foi com a mão mole e aceitou.

Os erros de Falcão e Subasic, que permitiram o empate do City, foram compensados pelo próprio atacante. Aos 14, ele recebeu na entrada da área e deu um belíssimo chute de cobertura. Um lençol perfeito para encobrir Caballero e morrer no fundo da rede.

Na busca pelo empate, o City se abriu e quase levou o quarto. Mbappé apareceu bem na esquerda da área, mas, ao invés de rolar para alguém mandar para dentro, preferiu o chute sem ângulo, para fora.

Novamente, um erro que custaria caríssimo. Praticamente no lance seguinte, o City conseguiu o empate. De Bruyne bateu escanteio e Agüero pegou muito bem na bola, de voleio, desta vez sem nenhuma chance para Caballero.

Pouco depois, aos 31 minutos, mais um gol saído de cobrança de escanteio. Desta vez Yaya Touré resvalou e a bola sobrou livre para o zagueiro Stones mandar para dentro. Ele não fazia gol desde abril de 2015, quando ainda jogava pelo Everton.

O Monaco sentiu o golpe e levou o quinto gol aos 37, numa linda jogada coletiva do Manchester City. Sterling deixou Agüero livre na área, mas o argentino foi solidário e deu para Sané fazer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.