Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Agüero passa noite em hospital de Barcelona após sentir dores no peito durante jogo contra Alavés

Jornal espanhol afirma que o argentino já havia se queixado de dores e que, apesar do atacante ter tido problemas semelhantes na infância, o quadro de arritmia cardíaca pode estar relacionado com a covid-19

Redação, Estadão Conteúdo

31 de outubro de 2021 | 12h25

O argentino Kun Agüero não conseguiu terminar o primeiro tempo do jogo com o Alavés, sábado, pelo Campeonato Espanhol. Sentindo fortes dores no peito e dificuldades para respirar, deitou no gramado do Camp Nou e, após atendimento, acabou substituído. Foi levado de ambulância para um hospital em Barcelona, onde passou a noite fazendo exames. De acordo com a imprensa espanhola, sofreu uma arritmia cardíaca, transtorno que afeta a frequência de batidas do coração.

"Kun Agüero sentiu dores no peito e foi levado ao hospital para exames de cardiologia. Gerard Piqué machucou a panturrilha direita. Mais testes serão realizados para descobrir mais detalhes sobre a lesão", limitou-se a dizer o clube para falar dos problemas de seus jogadores.

Informações do jornal El País dão conta que Agüero, de 33 anos, já havia se queixado das dores no peito há 10 dias e que o quadro de arritmia cardíaca pode estar relacionado com a covid-19. Seria uma sequela da doença. Mas o atacante já havia sofrido com problemas semelhantes ainda na infância, quando tinha somente 12 anos.

Agüero fazia o seu primeiro jogo como titular desde que foi contratado do Manchester City, o quinto pelo clube, e tentava ganhar ritmo para enfrentar o Dínamo de Kiev, pela Liga dos Campeões, na terça-feira, fora de casa. Vai ser desfalque no duelo decisivo.

O atacante deve permanecer mais alguns dias no hospital até que seja diagnosticado a origem do problema. O fato de ter saído andando de campo deixou dirigentes do Barcelona um pouco menos preocupados. Já o jogador passou a noite revelando estar tranquilo, porém com medo do problema, segundo o diário Sport.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.