Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Aguilar assume falhas no Santos e mira redenção contra o Flamengo

'Precisamos neutralizá-los', afirma o zagueiro antes de confronto com o líder do Brasileirão

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2019 | 07h06


Com 36 jogos disputados pelo Santos nesta temporada, o zagueiro Felipe Aguilar se firmou sob o comando do técnico Jorge Sampaoli, mas ficou marcado também por falhas cometidas em jogos importantes no ano. Duas delas foram cometidas na derrota por 3 a 2 para o São Paulo, no Morumbi. E depois ele também não foi bem no surpreendente empate por 3 a 3 com o Fortaleza, na Vila Belmiro, onde a equipe santista chegou a abrir 3 a 0 no placar. Os dois confrontos foram válidos pelo Campeonato Brasileiro.

Ao comentar estes momentos ruins com a camisa alvinegra, o defensor colombiano assumiu os seus erros e, em certo tom de desabafo, lembrou que trabalha para ter sucesso, não para fracassar. "Escorreguei, fiz pênalti em um clássico... O que eu posso fazer? Errei, como falei, ideia é não errar, mas trabalhamos para fazer as coisas bem. Em algumas situações as coisas não saem bem e erramos. Fui eu quem errei, não darei desculpas. Assumo meu erro como fiz nas outras vezes", afirmou o jogador, em entrevista coletiva no CT Rei Pelé, nesta quinta-feira.

E o defensor não perde a confiança para conseguir ter uma espécie de "redenção" pelo time alvinegro. "Como se trabalha para não escorregar? Pode acontecer, né? Caí duas vezes. É importante manter a calma, o trabalho, e acreditar. São dias difíceis e temos que levantar e continuar", ressaltou o atleta, que também disse que tem mais jogos bons do que partidas ruins ao longo desta sua atual passagem pelo Santos.

Confiante, o atleta espera elevar o seu crédito com o torcedor santista a partir deste sábado, quando enfrentará o Flamengo, às 17 horas, no Maracanã, no jogo em que a sua equipe lutará para conquistar o título simbólico de campeã do primeiro turno do Brasileirão - vice-líder, com 37 pontos, está dois atrás dos rubro-negros.

Ao ser questionado sobre como será enfrentar a poderosa dupla de ataque formada por Gabriel e Bruno Henrique, dois ex-jogadores do próprio Santos, Aguilar respondeu: "Pessoalmente não conheço eles, mas assisto muitos jogos de futebol e principalmente do Flamengo. Vimos as partidas, sabemos que são rápidos. Um joga para o outro, Gabigol aproveita os desmarques do Bruno Henrique e vice-versa. Não são só eles, é um time muito completo, 20 e poucos jogadores de alto nível e será difícil. Precisamos neutralizá-los".

O zagueiro de 26 anos de idade, porém, preferiu minimizar o peso desta partida para a definição do Brasileirão ao projetá-la. "O jogo deste sábado é importante como todos os outros. O primeiro e o segundo da tabela se enfrentam e será uma boa partida, pela torcida de lá, pela importância", disse.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.