Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Aguirre admite apresentação ruim do São Paulo: 'Ficamos desconcertados'

Tricolor perde chance de retornar à liderança após derrota para o Palmeiras, por 2 a 0

João Prata, O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2018 | 21h18

Insatisfeito com o desempenho do São Paulo na derrota por 2 a 0 para o Palmeiras, neste sábado, no Morumbi, os torcedores vaiaram o time no intervalo e após a partida, além de terem chamado o técnico Diego Aguirre de "burro". Na entrevista, o treinador tentou relativizar o mau momento do time que chegou ao quarto jogo consecutivo sem vitórias no Campeonato Brasileiro.

"É verdade que não fizemos um bom jogo. Era uma decisão. Temos que assumir esse momento e reverter rapidamente. Entendo que a torcida esteja brava porque nós também esperávamos outra coisa", disse o técnico uruguaio.

O treinador admitiu que alguns jogadores tiveram queda de produção, mas não citou nomes. "Somos um time. Assim como falo quando o time ganha que é mérito de todos, quando perde não é demérito de um só. Estamos todos na mesma."

Na visão de Aguirre, neste sábado, a equipe se desestruturou depois de levar o primeiro gol em jogada de bola parada. A partir daí, o Palmeiras conseguiu impor o seu estilo de jogo. Especialmente porque a opção de colocar Rodrigo Caio na direita foi pela qualidade do jogador nas bolas aéreas. "Ficamos um pouco desconcertados", falou.

Aguirre, no entanto, ainda não jogou a toalha. O time está a quatro pontos do líder Palmeiras e tem um confronto direto pelas primeiras colocações na próxima rodada, contra o Internacional, no domingo, fora de casa, no beira-rio.

"Temos muitos jogos pela frente e não vamos desistir.Vamos somar a maior quantidade de pontos e ver o que acontece", analisou. "Como treinador, sou responsável pelas coisas que acontecem. Temos que continuar trabalhando, não podemos pensar que está perdido. O próximo jogo é muito importante e vamos em busca da vitória para sair dessa situação", encerrou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.