Rubens Chiri/saopaulofc.net
Rubens Chiri/saopaulofc.net

Aguirre admite 'derrota dura' no Sul, mas cobra reação rápida ao São Paulo

Tricolor fica distante da briga pelo título brasileiro com revés para o Internacional

Estadão Conteúdo

14 Outubro 2018 | 19h46

A derrota do São Paulo para o Internacional por 3 a 1, neste domingo, no Beira-Rio, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro, complicou as chances de título do time comandado por Diego Aguirre. Restando nove rodadas para o fim da competição, o São Paulo estacionou nos 52 pontos, na quarta posição, sete atrás do líder Palmeiras, que venceu o Grêmio, no Pacaembu, em outro confronto do dia.

Com poucos jogos até o fim do torneio, o técnico são-paulino admitiu que o novo revés teve um peso importante para as pretensões da sua equipe, mas cobrou uma reação rápida do São Paulo na continuidade do Brasileirão. No próximo sábado, o time enfrenta o Atlético-PR, às 19 horas, no Morumbi, pela 30ª rodada da competição.

"É uma derrota dura. A esperança que esse time gerou era grande", reconheceu o comandante, em entrevista coletiva, na qual também já começou a projetar um triunfo em casa no próximo final de semana. "É uma diferença importante (os sete pontos abertos pelo Palmeiras). Não dá para pensar em outra coisa que não seja melhorar e ganhar o próximo jogo. Depois veremos o que acontece. Tem que voltar rapidamente a confiança", enfatizou.

Aguirre reconheceu ainda que o São Paulo precisa "melhorar o nível" de atuação se quiser sonhar com objetivos expressivos nesta reta final do Brasileirão, no qual agora a conquista do título parece ser uma meta muito distante da realidade. "Temos que mostrar um futebol melhor. Já mostramos. Estamos sendo irregulares. Caiu o nível", alertou.

E a sequência de jogos sem vitórias na competição, no qual a equipe não ganha um jogo desde quando bateu o Bahia por 1 a 0, no dia 8 de setembro, é outro fator importante para uma equipe que inevitavelmente vem perdendo a sua confiança. "O momento psicológico pode influenciar. Acontecem coisas, os resultados não acompanham. É uma soma de momentos, de situações. Sinto que é uma das razões para o nível de nosso jogo não ser o mesmo de um tempo atrás", enfatizou.

Depois do triunfo sobre a equipe baiana, o São Paulo acumulou empates com Santos (0 a 0), América-MG (1 a 1) e Botafogo (2 a 2) antes de ser derrotado por 2 a 0 pelo Palmeiras na rodada anterior do Brasileirão. Assim, o jejum de triunfos na competição, ampliado neste domingo, passou a ser de cinco partidas.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.