Rubens Chiri/São Paulo FC
Rubens Chiri/São Paulo FC

Aguirre promete valorizar base, mas não descarta reforços caso perca jogadores

São Paulo começa a se preparar para a janela de transferências do futebol europeu; Cueva e R. Caio podem deixar o clube

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2018 | 13h15

O técnico Diego Aguirre, do São Paulo, demonstrou nesta sexta-feira que já se preocupa com a possível saída de atletas entre junho e julho, na janela de transferências do futebol europeu. Cueva e Rodrigo Caio são os mais cotados para deixarem o Morumbi. De acordo com o treinador tricolor, em coletiva de imprensa no CT da Barra Funda, o clube já atua em duas "frentes": prepara atletas da base para as carências do time e já sonda possíveis nomes de reforços. 

De volta ao time, Diego Souza prevê jogo difícil do São Paulo contra o Santos

"Temos essas duas opções. Temos olhado para alguns jogadores da base, assim como Helinho, que treina com nós e joga no sub-20. Damos preparação a esses atletas", explicou. "Mas também temos a ideia de que algum jogador possa vir. E temos opções de fora, dependendo das vendas dos jogadores, que pode ser Cueva ou algum outro. Aí teríamos de substituir rapidamente. Mas é algo normal. A base do time vai ficar, isso é mais importante. Um, dois ou três podem sair, no máximo."

Aguirre diz ver com naturalidade a saída de atletas na janela, mas garantiu que só pensará efetivamente nos reforços se negociações acontecerem. "São Paulo tem bons jogadores que podem ir para outros mercados. Faz parte. Não estamos pensando em reforços, mas sim temos alguns nomes, caso algum jogador saia, para que seja um por outro. Se sai um jogador, pode vir outro. Em diferentes posições."

O treinador pregou respeito contra o Santos, adversário deste domingo pela 6ª rodada do Campeonato Brasileiro, e disse não ver vantagem pelo fato de que teve a semana cheia para treinos, ao contrário do adversário que atuou na quinta pela Copa do Brasil. "Me preocupo com meu time. Respeito muito adversários e tento não falar deles. Sei que o Santos tem um bom time" 

Invicto há oito jogos, porém com apenas uma vitória no Brasileirão, o São Paulo precisa voltar a ser "um time de vitórias", de acordo com o comandante. "(A invencibilidade) tem o lado bom, mas para mim não vejo tanto significado. Eu preferia ter mais pontos, sem ter invencibilidade. Temos de voltar a vencer. Tomara que esse jogo do Santos possa iniciar a sequência de vitórias, para dar a tranquilidade que estamos precisando. É um detalhe não ter perdido. Temos de ganhar. Não é suficiente. São Paulo é um time de vitórias."

O São Paulo recebe o Santos às 16h desde domingo no estádio do Morumbi. A expectativa é de casa cheia. Até a manhã desta sexta, o clube tricolor já já havia vendido mais de 18 mil ingressos. 

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo Futebol Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.