FELIPE RAU/ESTADÃO
FELIPE RAU/ESTADÃO

Aguirre vê jogo 'estranho' e comenta situação de lesionados no São Paulo

Treinador admite que time ficou desorientado após sofrer a virada; Nenê e Militão são dúvidas para duelo pela Sul-Americana

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

05 Maio 2018 | 22h14

O técnico do São Paulo, Diego Aguirre, considerou o empate em 2 a 2 com o Atlético-MG, na noite deste sábado, um jogo "estranho". O uruguaio admitiu que sua equipe ficou um pouco perdida em campo depois de levar a virada, no segundo tempo, mas elogiou as participações decisivas de Cueva e Diego Souza, autores do passe e finalização certeiras do segundo gol.

+ TEMPO REAL: Veja como foi São Paulo 2 x 2 Atlético-MG

+ Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

"Tomamos o gol, ficamos um pouco desorientados. Mas depois do gol do Atlético fomos buscar e conseguimos o empate. Um jogo estranho, mas com situações de gol", comentou o treinador, antes de destacar o desempenho da sua dupla.

"Estou feliz com o Diego Souza. O mérito é dele. Primeira coisa que ele está fazendo é trabalhando, mostrando o nível e assumindo jogar com a camisa 9 do São Paulo. É jogo a jogo e ele tem que continuar assim. Por nossa sorte ele tem começado a encaixar e isso é bom para gente", disse Aguirre. "O Cueva está bem, perto de viajar para o Mundial, vamos perder ele, mas está nos ajudando. Fiquei contente com ele e espero que possa continuar assim", emendou.

A preocupação dele, agora, é com a condição física de seus titulares. O zagueiro Éder Militão nem começou jogando, pois sentiu um desconforto muscular ainda no aquecimento, e o meia-atacante Nenê precisou ser substituído ainda aos 9 do segundo tempo com dores na coxa esquerda. Na quarta-feira, o time recebe o Rosario Central, no Morumbi, pelo jogo de volta da primeira fase da Copa Sul-Americana – na ida, os times empataram sem gols na Argentina.

"O Militão sentiu um desconforto e não fiquei seguro de colocar. Foi uma decisão de último momento, mas a saída de um jogador dá oportunidade para outro. Anderson Martins merecia a chance e fiquei muito feliz com a atuação dele. Ganhamos mais um jogador para o jogo de quarta", analisou o uruguaio, dando pistas de que poderá repetir a escalação do trio defensivo que jogou nesta noite.

A respeito de Nenê, ele preferiu não fazer muitas previsões: "Sobre o Nenê temos que esperar os médicos. É uma situação que não posso falar mais do que isso. Temos três dias para trabalhar e vamos ver quem estará bem para ir para o jogo", completou.

Sexto colocado do Campeonato Brasileiro, o São Paulo volta a jogar pela competição nacional no domingo, quando visita o Bahia na Arena Fonte Nova, em Salvador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.