Estadão
Estadão

Presidente do São Paulo critica ex-CEO e ironiza Abilio Diniz

Dirigente está no Panamá em evento do patrocinador

O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2015 | 14h53

O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, partiu para o ataque nesta quarta-feira. Em entrevista coletiva, Aidar justificou a demissão do CEO, Alexandre Bourgeois, ironizou e negou a oferta do empresário Abilio Diniz para custear uma auditoria no clube. Bourgeois foi substituído por Paulo Ricardo de Oliveira na semana passada, afirma que foi ameaçado na reunião que definiu sua saída e desafia a diretoria a provar as justificativas de mau desempenho. 

"Desde a segunda feira que antecedeu a demissão dele começaram a chegar notícias negativas sobre o comportamento dele: reuniões com empresários de futebol, reuniões com atletas, levando pessoas à presença do Abilio, como se escondendo de mim essas coisas. Então eu perdi a confiança nele", afirmou o presidente do São Paulo ao portal UOL. 

"A partir do instante em que perdi a confiança, me reuni com os vice-presidentes na presença dele e com a assessoria de imprensa da presidência do São Paulo. Estava o Marco Antonio Sabino, que é o assessor de imprensa, e um jornalista que trabalha para o Sabino, e não para o São Paulo, que é o Olivério Júnior. Nessa reuniões ficou bastante claro que ele havia mentido. Ele foi desmascarado pelo próprio Olivério, disse "você mentiu, você estava em tal lugar, almoçou com empresário tal, você saiu dali com um amigo meu...". Foi muito grave, foi um bate-boca, obviamente ninguém ameaçou ninguém", comentou Aidar.

Aidar está no Panamá para participar da apresentação dos aviões envelopados com cores e emblema do clube pela Copa Airlines, companhia aérea panamenha e nova patrocinadora de mídias digitais do São Paulo. 

O presidente ironizou o empresário Abilio Diniz por ter divulgado uma carta que havia sido endereçada a ele próprio e disse que não poderá aceitar a oferta de Abilio sobre pagar uma auditoria da PriceWaterhouseCoopers no clube.

"A carta é para mim, pois é, mas todo mundo leu, menos eu, porque não tive tempo. Eu já contratei duas... Quer dizer, ele está um pouco atrasado. Ele não conhece a vida interna do São Paulo. Acho muito gozado ele mandar uma carta para mim e divulgar para todo mundo antes de eu tomar conhecimento. Estou com a carta aqui, no meu celular, mas ainda não tive tempo de ler. Desculpa, se eu for mandar uma carta para você eu mando para você, não para seus colegas", ironizou o presidente.

"É ótimo que ele queira pagar a auditoria, mas é preferível pagar a que o São Paulo já contratou, que é do mesmo nível. É bom que pela primeira vez ele está oferecendo dinheiro ao São Paulo, ainda que sob a forma de pagar a auditoria. Eu vou pensar nisso, ainda não decidi", falou.


Tudo o que sabemos sobre:
FutebolBrasileirãoSão Paulo FCAidar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.