Marcos D'Paula/AE
Marcos D'Paula/AE

Ainda com dores, Kaká treinará com bola pela seleção na sexta

'Contra o Napoli e senti um pouco de dor. Mas hoje estou bem melhor', diz o meia, sobre o problema no pé

AE, Agência Estado

25 de março de 2009 | 19h22

Sem participar do treino tático da seleção brasileira nesta quarta-feira, o meia Kaká, que se recupera de dores no pé, afirmou que voltará a treinar com bola na sexta-feira na Granja Comary, mas ainda não sabe se terá condições para enfrentar o Equador, domingo, em Quito, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010.

Veja também:

linkFelipe Mello, Luisão e Marcelo saem na frente por vaga

linkResolvido no ManCity, Elano defende seu espaço na seleção

linkDunga acredita que Kaká estará em campo neste domingo 

linkDunga diz ter dúvidas para escalar seleção brasileira

tabela Eliminatórias da Copa - Classificação

lista Eliminatórias da Copa - Calendário / Resultados

"A programação é fazer um treino com bola na sexta-feira", informou o jogador em entrevista coletiva nesta quarta. "Venho de uma lesão, uma torção no pé, fiquei fora por cinco ou seis semanas, fiz trabalho físico à parte. Joguei contra o Napoli e senti um pouco de dor. Mas hoje estou bem melhor", garantiu Kaká.

O meia, no entanto, avisou que não entrará em campo se a dor persistir. "É difícil um jogador não sentir nenhuma dor durante um jogo. Mas não pode ser uma dor que limita o atleta. Se estiver sentido algum tipo de dor que me limite, eu não vou jogar", adiantou.

Kaká, que fez trabalho de fisioterapia em Teresópolis ao lado do atacante Adriano, também comentou sobre os seus planos para o restante da temporada. "O importante é não sentir dores no pé. Quero terminar a temporada italiana e trabalhar com a seleção em julho para ter uma boa sequência de jogos", disse, se referindo à Copa das Confederações.

Na entrevista, o jogador também comentou a evolução do atacante Alexandro Pato, seu companheiro no Milan. "Esta temporada fui complicada [para o clube], mas o fator positivo foi a formação do Pato, pelos gols que tem feito. Hoje ele é titular indiscutível. Ele tem aprendido muito e essa experiência será fundamental para o seu futuro".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.