Juan Mabromata/AFP
Juan Mabromata/AFP

Ainda sem marcar gol, Argentina só empata com o Paraguai

Próximos rivais do Brasil, hermanos sentem falta de Messi e Agüero

FELIPE ROSA MENDES, Estadão Conteúdo

13 de outubro de 2015 | 23h09

Paraguai e Argentina protagonizaram nesta terça-feira o primeiro empate destas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo. Jogando no estádio Defensores del Chaco, em Assunção, o time argentino voltou a vacilar no ataque e não passou do 0 a 0 com os anfitriões, pela segunda rodada.

Sem Lionel Messi e também sem Sergio Agüero, machucado na partida anterior, a Argentina contou com Tevez, Lavezzi e Di María no ataque. Contudo, parou na marcação e na empolgação paraguaia e segue sem balançar as redes na competição. O time argentino tentará marcar seu primeiro gol na próxima rodada, quando terá pela frente o Brasil, no dia 13 de novembro, em casa.

Enquanto isso, vai continuar na metade inferior da tabela das Eliminatórias, com apenas um ponto em duas partidas. Já o Paraguai chegou aos quatro pontos porque vencera a Venezuela, na estreia, na quinta-feira passada. Na próxima rodada, os paraguaios vão enfrentar o Peru, também no dia 13 de novembro, fora de casa.

O JOGO

Paraguai e Argentina fizeram um dos jogos mais "pegados" deste início de Eliminatórias. Com seguidas divididas, a partida foi tensa nos primeiros minutos, principalmente em razão da postura do árbitro uruguaio Andrés Cunha, que deixou o jogo "solto", sem marcar faltas evidentes.

Passados os dez primeiros minutos, o Paraguai tomou a iniciativa e tentava pressionar a equipe argentina, sem maior perigo. Os paraguaios se aproximavam da área rival com facilidade, mas pecavam nas finalizações. O goleiro Romero só foi exigido aos 15 e aos 39 minutos, em chutes pontuais do ataque paraguaio, liderado por Barrios, do Palmeiras.

Mais contida no início, a Argentina também só passou a atacar quando as duas equipes resolveram jogar, deixando as divididas para trás. O técnico Tata Martino escalou o ataque com Di María ao lado de Lavezzi e Tevez, que fora reserva na estreia, na quinta-feira passada. Tevez entrou no lugar de Agüero, machucado.

E a nova formação do trio ofensivo quase deu resultado aos 11 minutos, em passe de Tevez e chute cruzado de Lavezzi. A dupla parou no goleiro Anthony Silva, assim como fizeram Mascherano, ao finalizar de fora da área, aos 26, e Lavezzi, em lance de cobertura, aos 40. Antes, aos 20, Tevez desperdiçou o melhor lance da etapa inicial ao cabecear, sem qualquer marcação na pequena área, por cima do travessão.

No segundo tempo, a seleção argentina buscou o ataque primeiro, em finalização rasteira de Di Maria, aos 7 minutos. A bola passou rente à trave esquerda do goleiro Silva. Parecia o início de uma pressão dos visitantes. Mas o Paraguai conteve rapidamente o ímpeto argentino e cresceu no ataque.

Em uma das melhores chances do jogo, Derlis González puxou rápido contra-ataque pela direita. O Paraguai tinha quatro contra dois, mas Lezcano desperdiçou a ótima chance ao demorar para finalizar, aos 14. Cada vez mais presente no ataque, o time da casa acumulava chances perdidas e exagerava nas faltas. A partida voltara a ficar violenta e os cartões amarelos poupados no primeiro tempo passaram a ser distribuídos pelo árbitro uruguaio.

Preocupado, Tata Martino fez mudanças no ataque. Sacou Tevez e Lavezzi e colocou o atacante Dybala e o meia Nico Gaitán em campo. Mas a Argentina seguiu inoperante, criando menos do que no primeiro tempo. Desta vez nem Di María, um dos poucos que se salvaram na estreia, conseguiu mobilizar o ataque argentino, que passou em branco mais uma vez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.