AP
AP

Ainda sem Neymar e Messi, PSG supera o Brest fora e mantém 100% no Francês

Paris Saint-Germain venceu seus três primeiros jogos na liga francesa com autoridade, marcando dez gols

Redação, Estadao Conteudo

20 de agosto de 2021 | 18h38

Ainda sem Neymar e Messi, mas com Angel Di María, o Paris Saint-Germain venceu mais um e caminha tranquilo neste início de Campeonato Francês. Nesta sexta-feira, o time parisiense derrotou o Brest por 4 a 2 fora de casa, na abertura da terceira rodada, manteve os 100% de aproveitamento e vai dormir na liderança da competição.

O PSG venceu seus três primeiros jogos na liga francesa com autoridade, marcando dez gols. A equipe de Paris dorme na liderança isolada com nove pontos, mas a terceira rodada será completada no fim de semana e Angers e Clermont podem assumir aponta. O Brest, que perdeu pela primeira vez na competição, ocupa o 12º lugar, com dois pontos.

Di María, que teve as férias adiadas pela disputa da Copa América no Brasil, fez seu primeiro jogo na temporada e marcou um dos gols do triunfo. O brasileiro Marquinhos foi relacionado, mas não saiu do banco de reservas, bem como o goleiro Donnarumma, novidade entre os suplentes. Existe a expectativa que Neymar, Messi e Sergio Ramos façam a estreia na temporada no próximo fim de semana, contra o Reims.

Mbappé, depois de duas assistências nos jogos anteriores, anotou seu primeiro gol na temporada, e Di María saiu do banco para fazer um belo gol que selou o triunfo do PSG fora de casa. Herrera e Gueye também foram às redes, antes disso. O Brest marcou com Honorat e Mounié.

Uma notícia ruim foi a lesão de Icardi. Ele foi substituído depois de tentar um passe de calcanhar no campo de ataque e cair com dores no ombro direito. Kalimuendo entrou na vaga do argentino, que pode ser problema para o técnico Mauricio Pochettino nos próximos dias. Mas com um elenco tão farto, o treinador tem opções de sobre para o ataque.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolParis Saint-Germain

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.