Alessandro Garofalo / Reuters
Alessandro Garofalo / Reuters

Ainda sem saber futuro, técnico da Itália pede desculpas por decepção

Gian Piero Ventura terá reunião com a presidência da Federação Italiana de Futebol para saber se continua no comando da equipe nacional

Estadão Conteúdo

14 Novembro 2017 | 11h06

O técnico da seleção da Itália, Gian Piero Ventura, pediu desculpas aos seus compatriotas por não conseguir levar a equipe à Copa do Mundo de 2018. Ele ainda não sabe se seguirá no cargo porque terá reunião com a presidência da Federação Italiana de Futebol nesta terça-feira.

+ Buffon chora ausência da Itália de Copa e se despede da seleção

+ Quando outros campeões decepcionaram como a Itália

"Eu peço desculpas aos italianos, não em relação a desejo ou ao esforço, mas pelo resultado que não veio e era o principal", declarou o treinador, na noite desta segunda. Ele fez a declaração após o empate sem gols com a Suécia, no estádio San Siro. Com o resultado, a Itália não conseguiu passar da repescagem das Eliminatórias Europeias da Copa. Assim, ficará fora de um Mundial pela primeira vez em 60 anos.

+ Imprensa classifica eliminação como 'tragédia mundial'​

"Eu cheguei tarde para dar a entrevista porque estava me despedindo de todos os jogadores, um por um", disse Ventura, já em clima de despedida. "Não me demiti. Vou conversar com o presidente. Há muitas coisas para serem avaliadas. Vamos conversar com a federação e vamos avaliar a situação."

Os jogadores da seleção também não esconderam o abatimento. "Este é um momento negro para o futebol italiano e também para nós, jogadores, que fizeram parte desta trajetória nos últimos dois anos", disse o volante De Rossi, que anunciou sua aposentadoria da seleção. "Minha aventura termina aqui."

Presidente da Federação, Carlo Tavecchio disse estar "amargamente desapontado" pelo resultado do jogo que tirou a Itália da Copa. "Foi uma falha esportiva, que requer uma solução e por isso convoquei uma reunião para amanhã para decidirmos sobre o nosso futuro", declarou o dirigente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.