Ricardo Duarte/Internacional
Ricardo Duarte/Internacional

Com interino, Inter busca fim do jejum de vitórias contra o Avaí

Time gaúcha ainda não tem substituto para Odair Hellmann e catarinenses estreiam novo treinador

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2019 | 07h51

Uma semana depois da demissão do técnico Odair Hellmann e ainda sob o comando do interino Ricardo Colbachini, o Internacional enfrenta o Avaí nesta quinta-feira, às 19h15, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, na luta para encerrar um incômodo jejum de vitórias no Campeonato Brasileiro.

Sem ganhar uma partida na competição desde o dia 22 de setembro, quando superou a Chapecoense por 1 a 0, em Porto Alegre, pela 20ª rodada, a equipe colorada acumula duas derrotas e três empates em seus últimos cinco compromissos no torneio. A sequência ruim fez o time gaúcho, hoje com 39 pontos, deixar o G6 da tabela (a zona de classificação à Copa Libertadores).

Após a perda do título da Copa do Brasil na final contra o Athletico-PR, o Inter agora se vê tendo de se contentar com a conquista da vaga na competição continental como objetivo mais realista neste momento em que, a antes sonhada busca pelo troféu do Brasileirão, se tornou uma possibilidade pouco provável de ser alcançada neste segundo turno.

Neste duelo com o Avaí, que soma apenas 17 pontos na zona de rebaixamento, o time colorado contará com o retorno do zagueiro Bruno Fuchs, que estava com a seleção brasileira olímpica e nesta quarta-feira exibiu confiança na conquista de um triunfo na capital catarinense. "Pretendemos fazer um grande jogo. A gente está preparado para buscar a vitória na Ressacada", disse o defensor, em entrevista coletiva.

Fuchs deverá ser titular em Santa Catarina porque Víctor Cuesta vai cumprir suspensão, por ter levado o terceiro cartão amarelo na rodada passada. Ele deverá formar dupla de zaga com Roberto. Para completar, a equipe não terá Rafael Sobis, Rodrigo Moledo, Emerson Santos e Rodrigo Dourado, todos lesionados. O volante Rodrigo Lindoso e o meia Nonato, ambos com dores musculares, são considerados dúvidas.

Em compensação, o interino Colbachini, que estreou na função no empate por 0 a 0 com o Santos, no último domingo, no Beira-Rio, deverá ter a volta de Paolo Guerrero. O peruano reforça a equipe após servir a seleção do seu país em dois amistosos, sendo o último deles na noite de terça, contra o Uruguai, em Lima. Por causa do compromisso pela equipe nacional, ele se juntou ao grupo do Inter direto em Florianópolis. Pelo tempo curto entre uma partida e outra, ele também é visto como dúvida na formação titular e pode ficar como opção para entrar em campo no decorrer do confronto.

Outra novidade à disposição para este duelo na capital catarinense é o atacante William Pottker, recuperado de lesão. E após este embate com o Avaí, Colbachini também deverá dirigir o Inter no domingo, contra o Vasco, em Porto Alegre, pela rodada seguinte do Brasileirão, pois a direção do clube ainda luta para acertar a contratação de um novo comandante.

Uma comitiva de dirigentes do Inter retornou nesta quarta-feira de Buenos Aires, onde esteve presente para tentar acertar a aquisição de Eduardo Coudet, técnico do Racing, atual campeão argentino. Ele tem contrato com o clube até junho do próximo ano, mas os cartolas colorados voltaram animados do país vizinho e esperam por uma resposta para a proposta feita ao treinador até o final desta semana.

Evando estreia com vários problemas

Após perder o técnico Alberto Valentim para o Botafogo, o Avaí se vê obrigado a conviver com os inúmeros desfalques para a sequência do Campeonato Brasileiro. O lateral Iury é o novo integrante do departamento médico. Ele passará por uma cirurgia no joelho e ficará fora da equipe por cerca de um mês. Além dele, seguem vetados para o duelo contra o Internacional nesta quinta-feira, às 19h15, na Ressacada, pela 26ª rodada,o lateral Alex Alves, o meia Pedro Castro, além dos atacantes Jonathan e Daniel Amorim.

Com isso, o treinador terá de quebrar a cabeça para superar os desfalques. Contra o Inter, Evando Camillato deverá repetir o mesmo time que acabou sendo derrotado pelo Ceará, por 1 a 0, no Castelão. A principal dúvida é no setor ofensivo da equipe. Existe a possibilidade de Gabriel Lima aparecer entre os titulares.

A preocupação se baseia nos números do Avaí. O time catarinense tem apenas 13 gols marcados, em 25 partidas disputadas, o pior ataque do Brasileirão, e aparece como a pior campanha entre os mandantes, com dez pontos conquistados, sendo uma vitória, esta diante do Atlético Mineiro, por 1 a 0.

"Assumi essa responsabilidade e vou dar minha cara à equipe. Mostrei para eles que precisamos ser mais ofensivos, buscar mais o o gol, querer a vitória. Assumo essa chance e quero ajudar para trazer vitórias. Não quero saber como vai terminar. Vim para cá para vencer, agora quero vencer o Internacional", disse o treinador.

O treinador ainda fez uma breve análise do que esperar do Inter. "É um time grande, até pouco tempo estava disputando a final da Copa do Brasil. Mas vamos atuar dentro de casa e precisamos nos impor. Esperamos conquistar um grande resultado", concluiu. O Avaí tem 17 pontos e precisa vencer para não se afundar ainda mais dentro da zona de rebaixamento.

Para Entender

Programação de tv

Veja as principais atrações esportivas do dia

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.