Mailson Santana/Fluminense
Mailson Santana/Fluminense

Ainda sob risco de queda, Fluminense se preocupa com erros repetidos

Apesar da vitória sobre o CSA, técnico Marcão reclama das chances desperdiçadas no ataque

Redação, Estadão Conteúdo

26 de novembro de 2019 | 09h34

A vitória sobre o CSA permitiu ao Fluminense respirar aliviado na tabela na noite de segunda-feira. O time carioca deixou a zona de rebaixamento, ao fim da 34ª rodada do Brasileirão. Mas o resultado não escondeu velha preocupação da equipe comandada pelo técnico Marcão: as recorrentes chances desperdiçadas no ataque.

O triunfo por apenas 1 a 0 em Maceió foi apenas o capítulo mais recente desta sina do Fluminense no segundo turno da competição. Na segunda, Marcos Paulo, Caio Henrique e Nenê desperdiçaram seguidas oportunidades, que poderiam dar tranquilidade aos visitantes no segundo tempo.

"Os jogadores já se cobraram. Jogar um jogo desses, um jogo difícil, onde você fica por uma bola...", disse Marcão. "Depois do gol, nossa equipe conseguiu aumentar o campo, jogar pelos extremos, conseguimos chegar algumas vezes no gol do CSA. Vamos continuar trabalhando para que essas chances que venham aparecer nas próximas partidas, estejamos preparamos para convertê-las em gols."

O maior símbolo das dificuldades do Flu no ataque é Yony González. O atacante foi o autor do gol da vitória sobre o CSA. Ao balançar as redes, encerrou um jejum de dez jogos, situação que contrasta com o seu início de campeonato, quando era mais decisivo. "Muito feliz por marcar. Estava precisando", admitiu o jogador, que ainda não definiu o seu futuro.

Vindo de dois tropeços, o Flu subiu na tabela com o triunfo em Maceió. Chegou aos 38 pontos e ao 15º lugar. Empurrou, assim, o Cruzeiro para a zona de rebaixamento. Nestas últimas rodadas, o time carioca e o mineiro devem fazer duelo direto para escapar da degola.

Nesta briga, o Flu leva ligeira vantagem por ter dois pontos a mais que o rival e por ter sequência um pouco menos dura nesta reta final do Brasileirão. Enfrentará, na sequência: Palmeiras (sem chances de título), Avaí (já rebaixado), Fortaleza e Corinthians (já dentro da zona de classificação à Copa Libertadores).

O Cruzeiro, por sua vez, terá pela frente CSA (rival direto na briga para escapar da degola), Vasco (ainda sonhando com Libertadores), Grêmio (em busca da vaga na fase de grupos da Libertadores) e Palmeiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.