Khaled Elfiqi/EFE
Khaled Elfiqi/EFE

Al Ahly é campeão africano e jogará o Mundial de Clubes

Marcada pelo clima tenso, partida teve confronto entre torcedores e policiais

Agência Estado

10 de novembro de 2013 | 19h05

CAIRO - O Al Ahly, do Egito, conquistou neste domingo o título da Liga dos Campeões da África ao vencer o Orlando Pirates, da África do Sul, por 2 a 0, na partida de volta da final da competição. O confronto foi realizado em solo egípcio, no Cairo, depois de a partida de ida da decisão ter terminado em 1 a 1.

Este foi o oitavo título continental alcançado pelo Al Ahly, que com a nova conquista também assegurou classificação para o Mundial de Clubes da Fifa, marcado para acontecer entre 11 e 21 de dezembro, no Marrocos. Essa será a quinta vez que o Al Ahly jogará o Mundial, sendo que ele se tornou o último representante definido desta edição do evento.

Os gols da vitória do Al Ahly foram marcados pelo veterano Mohamed Aboutrika, que já havia marcado na partida de ida, e por Ahmed Abdul Zaher. Eles balançaram as redes adversárias no segundo tempo, levando ao delírio o lotado Kairo Stadium.

O Al Ahly foi eliminado pelo Corinthians na semifinal do Mundial realizado no ano passado, no Japão, e irá estrear nas quartas de final da próxima edição da competição contra o chinês Guangzhou Evergrande, de Conca e Elkeson, que assegurou classificação ao torneio no último sábado. Quem levar a melhor neste duelo fará uma das semifinais contra o Bayern de Munique, atual campeão europeu.

O representante brasileiro deste Mundial será o Atlético-MG, campeão da última Copa Libertadores, que tem Raja Casablanca, do Marrocos, Auckland City, da Nova Zelândia, ou Monterrey, do México, como possíveis rivais na outra semifinal da competição.

O confronto deste domingo no Cairo foi realizado sob um clima de grande tensão. Cerca de 4.000 policiais foram escalados para cuidar da segurança dos arredores do estádio, mas mesmo assim houve conflitos entre a polícia e torcedores. Os policiais chegaram a usar gás lacrimogêneo para dispersar a multidão, depois que um grupo de torcedores tentou entrar no estádio sem ingressos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.