Al Ittihad perde mais dois jogadores

O Al Ittihad perdeu mais dois jogadores para a partida desta quarta-feira contra o São Paulo: o atacante Job, de Camarões, e o zagueiro Osama. Eles, que não atuaram contra o Al Ahly, estão agora fora do Mundial. Foram suspensos pela federação árabe. Job foi punido por duas partidas pela expulsão na final da Liga de Campeões. E Osama, por um ano, por haver agredido um fotógrafo, ainda na Arábia. Como não esperavam pela suspensão de Pedrinho, Marcão e Lima ? suspensos por conta de irregularidade na inscrição ? o Al Ittihad apostou em um perdão da federação árabe a Osama e Job. Não houve.O São Paulo atuou para que Job ficasse de fora. A diretoria consultou a Fifa para saber se a suspensão seria de apenas um jogo. Agora, o Al Ittihad conta com apenas 18 jogadores inscritos no Mundial. Como três são goleiros, o técnico Anghel Iordanescu terá muitas dificuldades de escalação. Além dos onze titulares, terão um goleiro, dois zagueiros, dois jogadores de meio-de-campo e um atacante no banco de reservas.Os desfalques e mais o futebol mostrado na vitória por 1 a 0 sobre o Al Ahly na abertura do Campeonato Mundial de Clubes da Fifa traçam um quadro drástico para o Al Ittihad, mas os jogadores, com todo o cuidado possível, dizem que podem surpreender o São Paulo. ?É um time muito forte, pertence ao melhor futebol do mundo, mas nós temos alguma chance, se conseguirmos jogar bem, diz Mohammed Noor, capitão do time e autor do gol que eliminou o Al Ahly. Ele é o número 18, a quem Lugano pediu respeito.Anghel Iordanescu, treinador do time, colocou todo o favoritismo para o São Paulo, mas disse que seu time pode surpreender. ?Temos muito problemas, como frio que faz no Japão, mas principalmente com a ausência de nossos jogadores brasileiros que não puderam jogar por determinação da Fifa. É difícil fazer substituições. Além disso, o São Paulo é muito bom, mas estamos treinando forte para lutar em igualdade com eles?, disse a jornalistas árabes.O zagueiro Hamad Almontashari, eleito o melhor jogador da temporada, não esconde um certo deslumbramento em jogar contra o São Paulo. ?Esse jogo pode ser o início de uma boa participação da Arábia Saudita na Copa do Mundo da Alemanha. Até lá, não vamos enfrentar nenhum time tão forte como esse. Vai ser um ótimo teste?, diz, como se a desclassificação já fosse um fato consumado. ?O São Paulo tem jogadores que se movimentam muito. É difícil jogar contra eles.? Ele é um dos jogadores mais queridos pela torcida. Tem 21 anos e joga desde os quatro no Al Ittihad. Faz parte da seleção olímpica e também da principal. Pela seleção principal, venceu três vezes a Copa da Arábia e duas vezes a Copa do Golfo. Pelo Al Ittihad é duas vezes campeão da Ásia e duas vezes campeão de seu país.Campeão da Ásia pela segunda vez consecutiva, o Al Ittihad mostrou um ataque arrasador na Liga dos Campeões, que venceu, qualificando-se para o Mundial. Como detentor do título de 2004, teve o direito de estrear nas quartas-de-final.O primeiro adversário foi o Shandong, da China. Um empate por 1 a 1 e uma goleada história, em Riad, por 7 a 2, qualificaram o Al Ittihad para as semifinais. Eliminou o Busa, da Coréia, com vitórias por 2 a 0 e 5 a 0 e, na final a vítima foi o Al Ain, dos Emirados árabes, que ficou com o vice-campeonato após um empate por 1 a 1 e uma derrota por 4 a 2. Foram 20 gols marcados e seis sofridos, em seis partidas. O artilheiro foi Mohamed Kallon, de Serra Leoa, que fez seis gols.Al Ittihad significa união. Seu apelido é ?Tigres?, por conta do amarelo e preto no uniforme. Foi fundado em 1929, na cidade de Jedah.E, com tantos problemas, só a força de um tigre e a fé em Alá podem fazer o time vencer o jogo. E, se isso acontecer, o São Paulo entrará na maior crise de sua história.

Agencia Estado,

13 de dezembro de 2005 | 11h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.