Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Al Nassr não paga Flamengo e Hernane pode voltar

Clube da Arábia Saudita deveria ter depositado R$ 6,5 milhões nas contas do time da Gávea: prazo para isso vai agora até fim do mês

O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2014 | 14h05

A fase do Flamengo mudou e o time não para de receber boas notícias depois que deixou a lanterna do Campeonato Brasileiro, onde figurou antes e depois de Vanderlei Luxemburgo assumir o comando do time. A boa nova desta quinta é melhor para o torcedor e terrível para a diretoria. Trata-se da possível volta do atacante Hernane, negociado com o Al Nassr, da Arábia Saudita.

Ocorre que o clube ainda não pagou pela compra do atacante e se isso não acontecer até o fim do mês, o Flamengo vai pedir a reintegração de Hernane. O jogador deixou a Gávea com lágrimas nos olhos. Disse que caminhava em busca de sua independência financeira.

O Al Nassr deveria ter pago parte do valor da venda na assinatura da transferência, o que não fez ainda, de acordo com informações do clube brasileiro. Dia 31 de agosto é a data limite para a transferência de jogadores na Europa. Hernane já fez, inclusive, todos os exames médicos. O jogador foi recebido como carisma de craque pelos árabes, com direito a colar de flores de boas vindas.

Hernane assinaria por três temporadas com o Al Nassr. O caso está nas mãos dos advogados da Gávea. Como tinha direito a metade do contrato do jogador, o Flamengo receberia R$ 6,5 milhões, dinheiro que o ajudaria a se manter até o fim do ano, pelo menos. O Al Nassr caracteriza-se por ser um mau pagador neste momento. O atacante Elton, negociado com o mesmo Flamengo, deixou o time da Arábia Saudita por falta de pagamento.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolflamengobrasileirãohernane

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.