Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Alan Kardec se recusa a entregar faixas de campeão ao Corinthians

Atacante do São Paulo afirma que situação seria muito incômoda

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

20 Novembro 2015 | 19h27

O atacante Alan Kardec, do São Paulo, disse nesta sexta-feira que não pretende ver o time participando da festa do Corinthians pelo título brasileiro no encontro entre as duas equipes no próximo domingo, em Itaquera. O jogador descartou entregar faixas ao rival pela conquista confirmada na noite de quinta-feira, pois isso geraria um grande incômodo.

"Eu não tenho a mínima vontade de fazer isso. Sinceramente, não lembro de ter acompanhado alguém que tenha feito isso, ainda mais se tratando de um clássico. Passa bem longe da minha cabeça, ficaria completamente incomodado", afirmou o jogador. Kardec indiretamente contribuiu para o título corintiano ter a confirmação na quinta-feira, ao marcar dois gols na vitória sobre o Atlético-MG.

O atacante entrou no segundo tempo e ajudou o time a virar o placar. Ao ganhar por 4 a 2 o São Paulo voltou ao G-4, objetivo que para Kardec, faz o clássico de domingo ter uma importância maior do que uma simples festa do título para o rival. "Temos que fazer o nosso papel, sem pensar em carimbar as faixas. Não temos que ficar pensando nisso, mas só olhar para frente e cumprir nosso objetivo".

A participação na noite do título, com gols que tiraram as chances de conquista do Atlético-MG, renderam a Kardec algumas brincadeiras. O atacante contou que amigos corintianos o agradeceram pela boa atuação no Morumbi e relembraram que em 2007, quando ainda defendia o Vasco, o jogador teve papel oposto, de vilão. Naquele ano, ao marcar na vitória do time carioca sobre o Corinthians, no Pacaembu, ajudou a rebaixar a equipe paulista.

Mas o atacante minimizou a coindência. "O Corinthians não foi rebaixado por aqueça partida e não foi campeão nesse ano por causa do nosso jogo. Eles tiveram méritos e competência para garantir título", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.