Albânia vai à Corte Arbitral contra punição aplicada pela Uefa

Albânia vai à Corte Arbitral contra punição aplicada pela Uefa

Federação albanesa discorda da decisão da entidade em relação aos incidentes ocorridos no jogo contra a Sérvia

Estadão Conteúdo

03 de dezembro de 2014 | 11h52

A Federação de Futebol da Albânia (FShF) decidiu recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) contra a punição aplicada pela Uefa pelos incidentes ocorridos no jogo contra a Sérvia, dia 14 de outubro, em Belgrado, pelas Eliminatórias da Eurocopa. A Albânia, que se recusou a continuar jogando, foi considerada como derrotada por W.O., com placar oficial de 3 a 0. A Sérvia, porém, também perdeu os pontos do jogo.

"A FShF esperava encontrar mais justiça e está desapontada porque a Uefa não considerou os fatos provados, com a invasão do campo de fãs com propósitos racistas, dispostos a ''matar albaneses''. Descontente com esta decisão, a FShF informa ao público e aos meios de comunicação que vai continuar a buscar a justiça, na CAS, em Lausanne, em busca dos três pontos da vitória deste jogo", anunciou a entidade, em comunicado.

A partida foi interrompida aos 41 minutos do primeiro tempo, depois que um drone (aeronave não tripulada, controlada remotamente) sobrevoou o gramado com uma bandeira que continha o brasão nacional albanês, provocando uma briga generalizada entre jogadores e torcedores.

Sérvia e Albânia são rivais históricos, principalmente depois do desmembramento da antiga Iugoslávia. A Guerra de Kosovo, na década de 1990, expulsou milhões de kosovares da região e eles foram acolhidos pela Albânia, acusada pelos sérvios de incentivar o confronto. Formalmente, Kosovo ainda é território sérvio e não tem reconhecimento, por exemplo, para ter uma seleção nas Eliminatórias da Eurocopa. Além disso, há um confronto religioso entre os muçulmanos albaneses e os cristãos ortodoxos sérvios.

Apesar do histórico de conflitos entre Sérvia e Albânia, a Uefa não vetou que os dois países caíssem no mesmo grupo nas Eliminatórias - Gibraltar contra Espanha e Rússia contra Ucrânia, por exemplo, foram confrontos vetados antes mesmo do sorteio das chaves. Mas, para evitar brigas, foi decidido que os dois jogos entre sérvios e albaneses seriam realizados sem torcida visitante.

Isso, no entanto, não evitou a confusão. Quando o drone sobrevoou o campo, os jogadores sérvios Mitrovic e Gudelj foram recolher a bandeira e causaram revolta dos albaneses, que partiram para cima. Torcedores não gostaram e invadiram o gramado, dando continuidade a uma conflito generalizado, que teve forte repressão policial e uso de bombas. O árbitro, então, encerrou o jogo.

Na semana seguinte ao jogo, a Uefa resolveu decretar a vitória da Sérvia por 3 a 0, mas lhe tirou os três pontos, o que, na prática, representou punição para as duas seleções, que ficaram sem pontuar na rodada. Além disso, as federações dos dois países foram multadas em 100 mil francos suíços (cerca de US$ 105 mil). Mesmo diante do recurso de ambos, a entidade manteve a pena na terça-feira. Agora, resta saber como será o reencontro entre os rivais pelas Eliminatórias, previsto para o dia 8 de outubro, dessa vez na Albânia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.