Alckmin condena racismo de Desábato

O governador Geraldo Alckmin condenou o comportamento do jogador argentino Desábato, que ofendeu de forma racista o brasileiro Grafite no jogo contra o São Paulo e foi preso por isso. "O racismo é um crime abominável, é um preconceito totalmente inaceitável e no Brasil é um crime inafiançável", disse ele, lembrando que "uma injustiça cometida contra uma pessoa é uma ameaça à sociedade". Por isso, ele entende que a polícia agiu corretamente ao prender o atleta. "Ninguém tem o direito de desrespeitar o outro e a lei é para todos, para o governador, para o presidente da República, para o jogador de futebol, para o trabalhador; todo mundo tem de respeitá-la, pois essa é a lógica da democracia". Para o governador paulista, a impunidade estimula o mau comportamento "e impunidade se combate com atitude como a da polícia". "Ninguém pode aceitar esse tipo de comportamento e esse tipo de comportamento racista do atleta argentino é lamentável". Alckmin entende que "essa questão do combate ao racismo tem de ser um movimento mundial, pois é abominável e inaceitável".

Agencia Estado,

14 de abril de 2005 | 17h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.