Aldair faz última temporada na Roma

A Roma perderá um de seus símbolos. Dentro de dois meses, o zagueiro Aldair encerra parceira de 12 anos no atual campeão italiano e líder da temporada de 2001-2002. A saída do brasileiro foi confirmada nesta segunda-feira pelo presidente Franco Sensi. Em entrevista a uma emissora de rádio romana, o dirigente não usou meias palavras para explicar o destino do atleta. "Meu amigo Aldair é um grande profissional", elogiou. "Mas lhe restam dois meses em nosso elenco. Neste momento, já o consideramos um ex." O presidente disse que lamenta o rompimento da longa colaboração, mas foi realista e frio. "É a vida", filosofou. "Sinto muito, mas as coisas acontecem e a Roma avalia seu elenco com base na idade e na viabilidade econômica", explicou. "Não queremos deixar passar o momento certo, para não terminarmos como nossos vizinhos", ponderou Franco Sensi, em referência à Lazio, rival local, humilhada na noite de domingo com goleada de 5 a 1 pela Roma e que não renovou o grupo em tempo hábil, depois de ganhar o título, dois anos atrás. "Vamos contratar um zagueiro mais jovem, melhor e que tenha mais velocidade do que ele." Aldair Nascimento dos Santos completa 37 anos em novembro e chegou à Roma no início da temporada de 90-91, logo após a disputa da Copa disputada na Itália. Na época, encerrava experiência de um ano no Benfica, que havia comprado seu passe do Flamengo, onde foi revelado. O estilo seguro, sereno e sóbrio fez com que em pouco tempo se tornasse titular da equipe. Os técnicos passaram e o brasileiro manteve-se firme como um dos pontos de referência da defesa. O desempenho serviu para reabrir as portas do clube para os brasileiros. Os dirigentes passaram um período sem investir no mercado nacional, depois de passagens frustrantes de Renato Gaúcho e Andrade, no fim dos anos 80. Com Aldair como embaixador, a colônia cresceu e hoje tem como representantes Cafu, Antonio Carlos, Émerson, Marcos Assunção e Lima. Nesse período, também tentaram a sorte Vagner (atualmente no Celta) e Fábio Júnior, mas sem sucesso. Aldair não tem jogado como titular, pois o técnico Fabio Capello prefere o argentino Walter Samuel. Já no fim da temporada passada, com a conquista de seu primeiro ?scudetto? havia discutido a possibilidade de deixar o clube e voltar ao Brasil. Mas a diretoria resolveu estender o acordo até 30 de junho, como prova de reconhecimento pela dedicação. Na "era moderna" do mercado para estrangeiros na Itália, Aldair foi o jogador "mais fiel" à camisa de um time.

Agencia Estado,

11 Março 2002 | 11h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.