Aldair faz última temporada na Roma

A Roma perderá um de seus símbolos. Dentro de dois meses, o zagueiro Aldair encerra parceira de 12 anos no atual campeão italiano e líder da temporada de 2001-2002. A saída do brasileiro foi confirmada nesta segunda-feira pelo presidente Franco Sensi. Em entrevista a uma emissora de rádio romana, o dirigente não usou meias palavras para explicar o destino do atleta. "Meu amigo Aldair é um grande profissional", elogiou. "Mas lhe restam dois meses em nosso elenco. Neste momento, já o consideramos um ex."O presidente disse que lamenta o rompimento da longa colaboração, mas foi realista e frio. "É a vida", filosofou. "Sinto muito, mas as coisas acontecem e a Roma avalia seu elenco com base na idade e na viabilidade econômica", explicou. "Não queremos deixar passar o momento certo, para não terminarmos como nossos vizinhos", ponderou Franco Sensi, em referência à Lazio, rival local, humilhada na noite de domingo com goleada de 5 a 1 pela Roma e que não renovou o grupo em tempo hábil, depois de ganhar o título, dois anos atrás. "Vamos contratar um zagueiro mais jovem, melhor e que tenha mais velocidade do que ele."Aldair Nascimento dos Santos completa 37 anos em novembro e chegou à Roma no início da temporada de 90-91, logo após a disputa da Copa disputada na Itália. Na época, encerrava experiência de um ano no Benfica, que havia comprado seu passe do Flamengo, onde foi revelado. O estilo seguro, sereno e sóbrio fez com que em pouco tempo se tornasse titular da equipe. Os técnicos passaram e o brasileiro manteve-se firme como um dos pontos de referência da defesa.O desempenho serviu para reabrir as portas do clube para os brasileiros. Os dirigentes passaram um período sem investir no mercado nacional, depois de passagens frustrantes de Renato Gaúcho e Andrade, no fim dos anos 80. Com Aldair como embaixador, a colônia cresceu e hoje tem como representantes Cafu, Antonio Carlos, Émerson, Marcos Assunção e Lima. Nesse período, também tentaram a sorte Vagner (atualmente no Celta) e Fábio Júnior, mas sem sucesso.Aldair não tem jogado como titular, pois o técnico Fabio Capello prefere o argentino Walter Samuel. Já no fim da temporada passada, com a conquista de seu primeiro ?scudetto? havia discutido a possibilidade de deixar o clube e voltar ao Brasil. Mas a diretoria resolveu estender o acordo até 30 de junho, como prova de reconhecimento pela dedicação. Na "era moderna" do mercado para estrangeiros na Itália, Aldair foi o jogador "mais fiel" à camisa de um time.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.