Aldo rebate insinuações de favorecimento ao Brasil

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, chamou de "provocações" as insinuações de que o Brasil estaria sendo beneficiado pela Fifa para chegar às fases mais agudas da Copa do Mundo, como semifinal e final. Desdenhou os vizinhos sul-americanos do Chile e do Uruguai que insistem em comentar que a punição do uruguaio Luis Suárez, expulso da competição após a mordida que deu no zagueiro italiano Chiellini, flagrada somente pelas câmeras de tevê, foi uma decisão para ajudar a seleção brasileira.

ROBSON MORELLI, Agência Estado

28 de junho de 2014 | 12h25

Já o Chile bate na tecla de que todos no futebol deveriam estar atentos ao árbitro inglês Howard Webb, o mesmo da final da Copa de 2010, na África do Sul, que vai apitar o jogo das oitavas de final com o Brasil, neste sábado, no Mineirão. Valdivia, Alexis Sánchez e até o presidente da Federação Chilena de Futebol insinuaram que a seleção de Felipão seria beneficiada em campo pelo juiz, porque é do interesse da Fifa que o Brasil continue na competição. A CBF se manifestou duramente contra os chilenos.

"São provocações, essas chilenas, que servem apenas para desestabilizar os jogadores brasileiros. É para colocar mais pressão no time do Brasil. Não acredito em nada disso", disse o ministro, presente no Mineirão neste sábado, para acompanhar a partida número 49 da Copa do Mundo. "Em relação a Suárez, até mesmo Fred, atacante da seleção, disse que a punição imposta foi pesada demais. Eu mesmo acho isso também, e tenho ouvido uma condenação generalizada nas ruas do País. Todos queriam o Suárez na Copa."

Aldo Rebelo também rebate qualquer ingerência do governo brasileiro e do Comitê Organizador Local (COL) da Copa sobre as decisões da Fifa, sejam elas de cunho administrativo ou esportivo.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014futebolAldo Rebelo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.