Aldo Rebelo defende tornozeleira para torcedores infratores

Aldo Rebelo defende tornozeleira para torcedores infratores

Durante seminário sobre os legados da Copa, ministro do Esporte diz que Palmeiras deve realizar último do Brasileiro em sua arena

RONALD LINCOLN JR., O Estado de S. Paulo

03 de dezembro de 2014 | 12h32

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, defendeu que a Justiça passe a obrigar torcedores envolvidos em casos de violência no futebol a usar tornozeleiras eletrônicas a fim de impedir a entrada de infratores nos estádios. Palmeirense, Rebelo apoiou a decisão do Ministério Público de autorizar a realização da última rodada do Palmeiras no Campeonato Brasileiro deste ano, contra o Atlético-PR no domingo, em seu estádio.

As declarações foram feitas nesta quarta-feira, no estádio do Maracanã, durante o seminário de apresentação dos legados da Copa do Mundo do Brasil. Para o ministro, um dos principais problemas no esporte são os casos de violência entre torcedores, que acabam, segundo ele, prejudicando a imagem do esporte e afetando negativamente a captação de investimentos.

Diante da possibilidade de rebaixamento palmeirense, o que poderia provocar protestos da torcida, o MP chegou a cogitar a alteração do local do confronto contra o Atlético-PR, mas, depois, autorizou o uso do Allianz Parque, desde que a segurança esteja reforçada.

"Acho que é possível o Palmeiras realizar esse jogo em sua casa. O time constrói um estádio e não pode jogar nele?", questionou Rebelo. "Que o torcedor flagrado em atos de violência passe a usar tornozeleiras para não entrar nos estádios de futebol", defendeu.

Torcedor palmeirense, ele mostrou-se confiante na vitória de seu time sobre o Atlético-PR, que eliminaria por completo as chances de rebaixamento. "O time vive uma situação delicada, embora dependa só de seus esforços, mas pode vencer. O Palmeiras é um time histórico, assentado em um pedestal de glórias", afirmou o ministro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.