Julio Cavalheiro/EFE
Julio Cavalheiro/EFE

Aldo Rebelo festeja Curitiba na Copa, mas cobra ritmo nas obras

Ministro do Esporte não escondeu sua satisfação com a aprovação da Arena da Baixada

Agência Estado

19 de fevereiro de 2014 | 13h36

FLORIANÓPOLIS - O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, não escondeu nesta quarta-feira a sua satisfação com o fato de que a Fifa confirmou a manutenção de Curitiba como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014. Na última terça, a entidade assegurou a presença da Arena da Baixada no Mundial e estabeleceu 15 de maio como novo prazo final para entrega do estádio. Rebelo falou sobre o assunto no Costão do Santinho, em Florianópolis, durante realização de Congresso Técnico da Fifa que reúne técnicos e representantes de todas as seleções que disputarão o Mundial.

Na capital catarinense, porém, ele alertou que as obras do estádio precisam continuar aceleradas. "Ontem tivemos uma boa notícia sobre Curitiba. Precisamos, naturalmente, manter o ritmo que foi retomado com mais vigor. Estive em Curitiba na semana passada. Já era possível notar, entre 25 de janeiro e a data da minha visita, uma evolução visível a olho nu nas obras. Mesmo que o estádio de Curitiba seja o mais atrasado, as providências adotadas pelo construtor, pelo governador, pelo prefeito e pelo governo federal ajudaram a definir o prazo que viabiliza a Copa do Mundo em Curitiba", ressaltou.

Rebelo também aproveitou sua presença em Florianópolis para destacar que está acompanhando de perto "cada detalhe", como ele próprio definiu, das obras não só dos estádios, mas dos aeroportos e de mobilidade urbana das cidades-sede do Mundial.

OBRAS

"As obras estão evoluindo, estamos com algum atraso em alguns estádios, mas na expectativa de realizar os eventos-teste que são importantes e fazer bem a Copa. Estou acompanhando tudo no detalhe. Os aeroportos estão com obras em grande intensidade. O aeroporto de Cuiabá, por exemplo, está com 85% das obras prontas, Brasília está evoluindo bastante. Até maio evoluiremos muito nas obras de mobilidade urbana. Nem todas ficarão prontas. O VLT de Cuiabá não vai ficar todo pronto até a Copa, mas um trecho ficará pronto: os trilhos estão sendo assentados, os viadutos que darão suporte estão inaugurados. Se todo o trecho não ficar pronto, certamente ficará pronto logo depois da Copa e ficará para a população", afirmou o ministro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.