Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Alecsandro explica saída do Fla e promete gols no Palmeiras

Atacante mostra respeito e canta trechos do hino que seu pai ouvia

DANIEL BATISTA, Estadão Conteúdo

12 de junho de 2015 | 15h25

Alecsandro foi apresentado nesta sexta-feira na sala de imprensa do estádio do Palmeiras. O jogador esbanjou simpatia e personalidade. Com contrato até dezembro de 2016, ele chegou em meio a uma polêmica por ter divulgado vídeo no qual se despedia da torcida do Flamengo e dizia que um dia poderia voltar à Gávea. Sem fugir do assunto, ele explicou a atitude e assegurou que dará muitas alegrias para a torcida do Palmeiras.

"Fui tão criticado em redes sociais, até porque o vídeo foi (publicado) ontem (quinta-feira), antes da assinatura do contrato. Achei uma oportunidade de agradecer aos fãs do Flamengo, principalmente às crianças. Eu era abordado várias vezes e me chamavam de Alecgol. Como minha saída foi rápida, me achei no direito de agradecer o carinho que recebi. Agora é Palmeiras, com certeza honrarei a camisa, sei que o Palmeiras é o maior vencedor do Brasileiro e sei da grandeza do clube", disse o novo reforço, que durante a apresentação deu uma camisa personalizada para seu pai, o ex-atacante Lela.

O jogador foi apresentado pelo diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, que ainda parecia constrangido após a demissão de Oswaldo de Oliveira. "O currículo dele fala por si só. Se pegar um papel e falar nos títulos e na história dele, vamos ficar horas e horas aqui. Basicamente, o que posso dizer ao torcedor palmeirense é que foi uma contratação pontual da nossa direção e o desejo de ele jogar no Palmeiras foi fundamental, pois tinha outras propostas e um contrato em vigor, mas sua participação na conversa foi fundamental. É um orgulho tê-lo aqui. E ele tem uma responsabilidade maior que é o Lela. Ele é palmeirense doente e vai cobrar bastante o filho", comentou o dirigente.

O atacante contou que, na infância, ouvia o hino do Palmeiras e que chega para conquistar títulos e fazer muitos gols. "Tenho um prazer enorme de estar vestindo a camisa do Palmeiras. É uma felicidade enorme. É uma situação tão diferente vestir essa camisa que pela primeira vez em todos os clubes, meus pais estão presentes. Lembro que desde pequeno já convivia com o Palmeiras. Ouvia o hino e ficou marcado: ''Defesa que ninguém passa, linha atacante de raça, torcida que canta e vibra''. Momento bacana e feliz, estou lisonjeado por estar aqui. Eu tive outras oportunidades e propostas dentro e fora do Brasil, mas o Palmeiras me escolheu e eu escolhi o Palmeiras."

Sobre a expectativa da torcida, avisou que não vai decepcionar. "Espero que eu possa retribuir toda a expectativa da diretoria e do torcedor e que possa fazer aquilo que fiz em todos os times por onde passei, que é ganhar títulos e fazer gols", assegurou. "A torcida do Palmeiras tem meu respeito. Quero fazer gols e demonstra meu carinho, pois tenho certeza que o torcedor vai me abraçar. Como diz o hino: ''Atacante de raça'' e venho com essa característica. O torcedor vai ter um atacante de raça e que vai fazer muitos gols."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.