Rashide Frias/AFP
Rashide Frias/AFP

Alegando 'perseguição', Maradona ameaça deixar comando de time mexicano

Envolvido em polêmicas, o argentino, que é treinador do Dorados de Sinaloa, criticou a arbitragem e a cobrança da imprensa

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2019 | 14h58

O ex-astro do futebol mundial Diego Maradona está ameaçando deixar o comando técnico do Dorados de Sinaloa, que disputa a segunda divisão do México. Após o empate de 1 a 1 contra o Venados neste sábado, Maradona desabafou durante a coletiva pós-jogo dizendo que está se sentindo perseguido pela imprensa e pela Confederação Mexicana de Futebol, que quer puní-lo por dedicar a última vitória do time a Nicolás Maduro.

"Foi um pênalti muito claro sobre [Amaury] Escoto, mas sabe porquê não marcam? Porque amanhã vocês (imprensa) vão dizer que só marcaram porque era o time do Maradona", reclamou o argentino. "Se estou prejudicando o Dorados, é melhor eu sair."

Maradona disse que vai conversar com o presidente do Dorados para definir sua situação no time, mas revelou que nem mesmo tem um contrato assinado com o time e está cansado das críticas constantes sobre seus jogadores. "Se algum deles joga mal é o pior do mundo, se joga bem continua sendo o pior do mundo", desabafou. O técnico disse que apesar de gostar de morar em Sinaloa, vai discutir com a sua esposa para decidir qual será seu futuro.

Na rodada anterior do campeonato da divisão de acesso do México, Maradona já havia causado polêmica ao dedicar a vitória do Dorados sobre o Tampico Madero por 3 a 2 ao presidente venezuelano Nicolás Maduro e criticar o presidente norte-americano Donald Trump.

"Este triunfo eu quero dedicar a Nicolás Maduro e a toda Venezuela que está sofrendo, que os xerifes do mundo, que são estes ianques, que porque têm a maior bomba do mundo acreditam que podem nos passar a perna, não, nós, não", disse Maradona.  A Confederação Mexicana decidiu abrir investigação sobre o argentino por conta destes comentários e ele pode ser punido de acordo com o código de ética da entidade. 

Após 13 rodadas, o Dorados de Sinaloa ocupa a terceira colocação da segunda divisão do México e está na zona de classificação para o mata-mata que define o acesso. O próximo jogo do time será na sexta-feira, 12, contra o Atlético San Luis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.