Reprodução TV Record
Reprodução TV Record

Além de presidente, mais quatro integrantes da Independente terão prisão decretada

Henrique Gomes, o Baby, foi levado pelo DHPP após sair da cidade e ir ver jogo da Copinha, descumprindo ordem judicial

O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2017 | 21h42

Mais quatro integrantes da Torcida Independente, maior organizada do São Paulo, terão a prisão decretada pela Justiça a pedido do Ministério Público do Estado. Assim como Henrique Gomes, o Baby, presidente da Independente, eles foram flagrados descumprindo ordem judicial que os impedia de sair de São Paulo-SP e frequentar jogos do clube. Todos foram filmados pela equipe de reportagem do Jornal da Record na terça-feira durante partida válida pela Copa São Paulo de Juniores, em Capivari, no interior do Estado.

Baby foi preso na madrugada desta quinta-feira e levado para a sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Os outros acusados de descumprimento de ordem judicial são Bruno Silva Arcanjo, Gerson de Azevedo, Genildo da Silva e Alan Aquino de Souza. Todos também terão a prisão decretada a pedido do Ministério Público.

Segundo o MP, os cinco integrantes da Independente estiveram presentes na invasão do Centro de Treinamento do clube, em agosto de 2016, quando torcedores invadiram o local, agrediram e ameaçaram atletas e roubaram pertences de funcionários e do clube. Como punição, o presidente da Independente estava proibido de se manter próximo a atividades relacionadas ao São Paulo.

Em seu despacho, a juíza Débora de Oliveira Ribeiro escreve que “imagens apresentadas pelo Ministério Público evidenciam, de forma inequívoca, que o acusado, demonstrando absoluto desrespeito à ordem judicial vigente, descumpriu duas das medidas cautelares diversas da prisão de fl. 516/525, quais sejam, a proibição de se ausentar da comarca, sem autorização judicial, e de frequentar partida de futebol disputada pelo São Paulo.”

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa confirmou a prisão. “O DHPP informa que cumpriu um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça. O preso permanece no DHPP enquanto aguarda transferência para o sistema penitenciário.”

Baby chegou à sede do DHPP, no centro da capital, algemado. Na entrada do prédio, reclamou da prisão aos jornalistas. “Político está roubando e estão me prendendo porque fui no jogo do São Paulo? Brincadeira, heim, meu.”

Já no interior do edifício, o presidente da Independente se justificou e disse que não sabia que a ordem judicial era válida para jogos das categorias de base do clube. Baby também alegou que não sabia que sua restrição era de sair da cidade – ele disse que acreditava que era do estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.