Alemanha anuncia apoio a Infantino na eleição à presidência da Fifa

O suíço Gianni Infantino é o candidato da Uefa na eleição para presidente da Fifa. Secretário-geral da entidade europeia, ele deve contar com o apoio de boa parte dos países do continente no pleito do próximo dia 26 de fevereiro. Mas nesta quarta-feira, a Alemanha se antecipou e confirmou que votará no dirigente.

Estadão Conteúdo

20 Janeiro 2016 | 15h13

"Gianni Infantino é o candidato dos europeus e o melhor candidato", declarou o presidente interino da Federação Alemã de Futebol (DFB), Reinhard Rauball, após uma reunião da diretoria da entidade. "Através de seu trabalho como secretário geral da Uefa, ele sabe todos os aspectos do jogo, tem ótimas conexões internacionais e fala seis línguas."

Infantino só entrou na disputa pela presidência da Fifa depois que Michel Platini, então presidente da Uefa e candidato inicial com apoio da entidade, foi suspenso por conta de envolvimento no caso de corrupção que manchou o futebol no ano passado. Com o gancho de oito anos confirmado ao francês, o suíço ganhou ainda mais força e agora luta para distanciar sua imagem da do ex-jogador.

Na última terça, ele divulgou o manifesto de sua candidatura. Suas principais plataformas davam conta de ampliar a Copa do Mundo de 32 para 40 seleções e dividir o torneio entre sedes de diversos países de uma região. Além disso, ele promete compartilhar melhor os lucros da Fifa com as federações nacionais, principalmente as mais necessitadas.

Para Reinhard Rauball, Infantino também pode ajudar a limpar o nome do futebol europeu e da Uefa, depois das acusações contra Platini. "Com sua reputação e experiência, ele tem as condições necessárias para mudanças estruturais e para assumir os desafios que terá."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.