Alemanha combate a prostituição ilegal na véspera da Copa

A polícia alemã prendeu nesta quinta-feira cerca de cem pessoas em operações realizadas em bordéis de quatro províncias. Essas operações visam a coibir a prostituição ilegal, a menos de um mês do início da Copa do Mundo, informaram as autoridades do país. A polícia, nos estados de Hesse, Rhineland-Palatinate, Baden-Wuerttemberg e Bavária, interrogou centenas de prostitutas nessas operações. Volker Buoffier, ministro do Interior de Hesse, disse que as operações se realizam a partir da preocupação de grupos de defensores dos direitos humanos com a possibilidade de que milhares de mulheres, a maioria do leste europeu, poderiam ser obrigadas a se prostituir durante a Copa. A prostituição é uma atividade legal na Alemanha e as prostitutas, que pagam impostos e recebem benefícios sociais, devem registrar-se perante as autoridades. Atualmente, cerca de 400.000 pessoas estão registradas em atividades ligadas à prostituição no país. ?Os controles e operações policiais são uma maneira efetiva de lutar contra esse tipo de crime e, por essa razão, iremos continuar com essas medidas?, disse Bouffier. Só a polícia de Hesse investigou 603 prostitutas e prendeu 74. As autoridades de Rhineland-Palatinate disseram ter prendido 22 pessoas e intimado 34, a maioria por violação de imigração ou não cumprir regulamentos. Os outros dois estados não divulgaram números.

Agencia Estado,

11 Maio 2006 | 18h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.