Alemanha mostra eficiência para golear a Inglaterra

A histórica goleada por 4 a 1 sobre a Inglaterra classificou a seleção alemã às quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul e foi conquistada por conta da eficiência da equipe, que nem precisou ter o controle das ações durante os 90 minutos para manter a possibilidade de conquistar o tetracampeonato mundial.

LEANDRO SILVEIRA, Agência Estado

27 de junho de 2010 | 13h45

Melhor em campo, a Alemanha abriu 2 a 0 nos 32 minutos iniciais, com Klose e Podolski, aproveitando as chances de gol que teve no começo da partida disputada em Bloemfontein. Sofreu um gol, marcado por Upson, e não cedeu o empate apenas por conta de um erro da arbitragem, que não validou um gol de Lampard. Na etapa final, porém, conseguiu conter a pressão da Inglaterra e decidiu a partida em dois contra-ataques, com gols de Muller.

A goleada não se traduziu nas estatísticas do jogo, mas aconteceu por conta do eficiente futebol apresentado pela Alemanha. Em desvantagem durante quase todo o confronto, a Inglaterra finalizou mais vezes (19 a 17), mas conseguiu apenas um gol. Os alemães acertaram sete vezes a meta inglesa e apenas três destas finalizações foram defendidas por Neuer.

A Inglaterra também teve mais posse de bola (51% a 49%), mas nem por isso conseguiu criar chances efetivas de gol, já que a defesa alemã estava bem postada. O bom posicionamento impediu que a Inglaterra, que marcou um gol de cabeça com Upson, explorasse com sucesso os cruzamentos para vencer. Os ingleses tiveram mais escanteios (6 a 4) e cruzaram 12 bolas na área, mas apenas três cruzamentos foram corretos.

A partida deste domingo também chamou a atenção pelo fair-play das duas equipes. Apesar de ser um clássico e valer uma vaga nas quartas de final da Copa do Mundo, o confronto teve apenas 13 faltas, sendo sete cometidas pela Alemanha e seis feitas pela Inglaterra. E cada equipe levou apenas um cartão amarelo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.