Fábio Motta / Estadão Conteúdo
Fábio Motta / Estadão Conteúdo

Alemanha pagará bônus de R$ 1,3 milhão a cada jogador pelo título da Copa de 2018

Confederação local oferece bônus em bus ca de bicampeonato inédito para o país

Estadão Conteúdo

13 de dezembro de 2017 | 12h38

A Federação Alemã de Futebol anunciou oficialmente nesta quarta-feira que cada jogador da seleção nacional receberá um bônus de 350 mil euros (cerca de R$ 1,3 milhão) caso o país conquiste o título da Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

+ Joachin Löw defende uso do árbitro de vídeo na Copa do Mundo de 2018: 'Justo'

+ CBF promete programação especial para 'descansar' jogadores antes da Copa

A entidade informou que o acordo servirá como motivação extra para os atletas defenderem o tetracampeonato obtido em 2014, no Brasil, antes de buscarem o penta em solo russo. Caso atinja o objetivo, a Alemanha vai se igualar à seleção brasileira como única a ganhar o Mundial por cinco vezes na história.

A DFB (sigla que identifica a Federação Alemã de Futebol) revelou também que só pagará bônus a partir da possível classificação às quartas de final, que valerá 75.000 euros (aproximadamente R$ 291 mil) a cada jogador. Já um avanço às semifinais renderá uma quantia extra de 125 mil euros (algo em torno de R$ 486 mil) para cada atleta, enquanto a ida para uma eventual decisão valerá no mínimo 200 mil euros (R$ 778 mil na cotação atual), mesmo se o time nacional amargar um vice-campeonato.

Em caso de derrota em uma possível semifinal, a Alemanha terá também como incentivo um bônus de 150 mil euros (cerca de R$ 583 mil) na luta pelo terceiro lugar da Copa, sendo que o triunfo em uma decisão valerá 350 mil euros. Ou seja, no total, apenas em bônus, cada jogador da seleção alemã poderá ganhar até 750 mil euros (algo em torno de R$ 2,9 milhões) pela somatória dos prêmios extras estipulados a partir da classificação às quartas de final.

Até hoje, apenas a Itália, com os títulos de 1934 e 1938, e o Brasil, com as taças de 1958 e 1962, ganharam dois Mundiais de forma consecutiva. Até por isso, o ex-jogador da Alemanha, Oliver Bierhoff, hoje diretor esportivo da seleção do país, exaltou a importância de este bônus já ter sido definido com bastante antecedência.

"Isso nos dá a calma e a clareza necessárias antes do torneio para que possamos nos concentrar na tarefas esportivas. É um bom sinal quando jogadores estão apoiando este princípio (bônus) baseado em desempenho", afirmou o dirigente.

A Alemanha estará no Grupo F da Copa de 2018 em sorteio realizado no último dia 1º, em Moscou. O time campeão do mundo vai encarar México, Suécia e Coreia do Sul na primeira etapa da competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.