Alemanha: Pressão e palpites a Klinsmann continuam

Apesar de ter feito a escolha de Jens Lehmann para o gol da seleção durante a Copa do Mundo de 2006, o treinador da Alemanha, Jürgen Klinsmann, não pára de ser pressionado e de receber palpites de ex-jogadores e envolvidos no futebol alemão. Mais uma vez o Kaiser Franz Beckenbauer, que já havia criticado Klinsmann por ficar tempo demais na Califórnia (Estados Unidos), voltou a pressionar o técnico, exigindo que a seleção alcance pelo menos a quarta-de-final na próxima Copa. Para aumentar o coro dos palpiteiros, Lothar Matthäus, ex-companheiro e desafeto de Klinsmann na seleção campeã mundial de 1990, na Itália, pediu que o técnico convoque Mehmet Scholl, de 35 anos, para o lugar de Sebastian Deisler na equipe nacional."Não estamos, com certeza, piores do que em 1994 (EUA) e 1998 (França). Nestas Copas chegamos até as quartas-de-final. Pior do que isso não pode ser neste ano", declarou nesta quarta-feira o Kaiser à revista alemã Sportbild. Na terça-feira, Beckenbauer tinha dito que confiava em Klinsmann e na sua equipe para a Copa da Alemanha, apesar de achar o Brasil favorito para o título. Para o Kaiser, a classificação no Grupo A, que tem Costa Rica, Polônia e Equador, é uma obrigação. "Podemos esperar a quarta ou a semifinal, porque somos os organizadores e anfitriões e porque temos a vantagem de jogar em casa", completou Beckenbauer, que ainda ressaltou que o goleiro Oliver Kahn será de grande utilidade para Klinsmann, mesmo na reserva. "Ele é o bombeiro da seleção, aquele que poderá manter o ânimo dos reservas e do grupo."Como todos ex-jogadores querem opinar sobre o trabalho de Klinsmann, o ex-treinador do Atlético Paranaense, Lothar Matthäus, também resolveu dar mais um palpite para o treinador. O campeão mundial de 1990 defende a convocação do meia do Bayern de Munique, Mehmet Scholl, para a vaga de Deisler, contundido. "Após a contusão de Deisler faria sentido para Klinsmann acreditar em Scholl. Um curinga, que possa entrar durante a partida, permite algo mais a ele do que qualquer outro jogador que corra os 90 minutos", cutucou Matthäus. Scholl, que não participou dos Mundiais de 1998 e 2002 por estar contundido, está sendo cogitado também por grande parte da imprensa alemã para a vaga de Deisler, principalmente depois da última vitória do Bayern na Bundesliga, 2 a 0 contra o Bielefeld, sábado passado, quando fez o segundo gol e criou a jogada do primeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.