Alemanha tem modelo bem-sucedido de descoberta de talentos

Trabalho de garimpagem teve início há 15 anos

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2015 | 17h00

Referência para o futebol brasileiro após a Copa de 2014, a Alemanha está bem à frente quando se trata da formação de jogadores. O trabalho iniciado há 15 anos garimpa garotos saídos há pouco tempo das fraldas e, obrigatoriamente, une futebol e estudo.

 

Tudo começou após um fracasso, a eliminação alemã na primeira fase da Euro de 2000. E o vice-campeonato mundial de 2002, que marcou o fim de uma geração, deu o empurrão definitivo para o trabalho de formação de novos talentos. Até o governo se envolveu no projeto, que já teve investimento superior a US$ 1,2 bilhão e começou a dar os primeiros frutos dez anos depois de iniciado - a renovação da seleção teve início da Copa da África do Sul - e atingiu seu ponto alto em 2014.

No programa criado pela Federação Alemã no ano 2000, os clubes são obrigados a garantir o estudo do garoto até o ensino médio. No campo da formação esportiva, todas as equipes da Primeira e da Segunda Divisões são obrigados a ter centros de treinamentos voltados para a garotada.

Esses CTs têm de ser certificados e são vistoriados periodicamente. A fiscalização é rigorosa. São avaliados aspectos como infraestrutura, estratégia e métodos de trabalho, organização e habilitação dos profissionais que lidam com a garotada.

Além de técnicos e preparadores físicos habilitados para trabalhar na base, os clubes têm de ter pedagogos, psicólogos, nutricionistas, entre outros profissionais. “Formação de treinadores, desenvolvimento de talentos e de futebol na escola, em conjunto com a operação do jogo, fornece uma base importante para as equipes e para o futebol de alto nível’’, diz o diretor da federação Ulf Schott, responsável pela base.

Mas não são apenas os clubes que formam jogadores. Muitas vezes o trabalho é iniciado em uma das 366 academias públicas mantidas pela federação. Nelas, crianças a partir dos nove anos praticam o futebol, no princípio de forma lúdica. Com o tempo, vão sendo “apresentadas’’ aos conceitos técnicos e táticos do futebol. São quase 30 mil crianças e jovens hoje.


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.